Militar brasileiro que morreu no Haiti receberá medalha de paz da ONU
BR

21 outubro 2016

O terceiro-sargento Vicente Medeiros, do Rio de Janeiro, tinha 46 anos e sofreu um ataque cardíaco enquanto trabalhava nas operações de terreno após a passagem do furacão Matthew pela cidade de Les Cayes, no país caribenho; homenagem póstuma é concedida pela Missão das Nações Unidas no país, Minustah.

Monica Grayley, da Rádio ONU.

As Nações Unidas vão prestar uma homenagem póstuma ao sargento do Exército, Vicente Medeiros, que morreu na segunda-feira, de ataque cardíaco no Haiti. Ele receberá a Medalha da Paz da ONU, que será entregue a família do militar, que era era boina-azul da organização no país caribenho.

Medeiros, tinha 46 anos, e estava trabalhando na construção de um acampamento para as tropas brasileiras na cidade de Les Cayes, que foi fortemente afetada pelo furacão Matthew, no início deste mês.

Helicóptero

A Rádio ONU conversou com o comandante da Missão da ONU no Haiti, Minustah, o general Ajax Porto Pinheiro.  Ele contou, de Porto Príncipe, como o soldado foi socorrido, ao ser encontrado, na manhã da segunda-feira, 17 de outubro.

“Ele estava trabalhando, estava fazendo manutenção no campo, limpeza, parte elétrica, foi neste momento. E aí foi encontrado por volta de 11:30h da manhã de segunda, ele foi encontrado caído. De imediato tinha um médico nosso que estava lá e socorreu. Fez massagem cardíaca. Ele viu que era problema cardíaco. Tentou reanimá-lo com choque. Tinha um helicóptero nosso que estava sobrevoando a região numa outra missão...”

O comandante das tropas de paz no Haiti informou que o sargento foi levado para Porto Príncipe, onde foi pronunciada a morte.   A autópsia foi realizada no país vizinho, a República Dominicana, como explicou o general Ajax Porto Pinheiro.

“Da República Dominicana, ele deverá seguir neste final de semana para o Brasil. Junto ao corpo vão a medalha, as condolências minhas. A (condolência) formal da Missão, ela segue via diplomática para Nova Iorque e depois vai para para a família, vai para o Brasil. E segue também uma bandeira da ONU, uma bandeira do caso no Brasil. Chegando ao Brasil, aí terão os procedimento formais, que o Exército brasileiro vai fazer lá.”

O sargento iria completar cinco meses de serviço no Haiti.  E tinha o retorno marcado ao Brasil para o início de dezembro.

Na segunda-feira, 24, as tropas da ONU devem realizar uma missa de sétimo em tributo ao boina-azul.

O terceiro-sargento Vicente Medeiros deixa duas filhas adolescentes e a esposa. Segundo o comandante da Minustah, o militar brasileiro estava no último posto da carreira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud