OMS quer mais de US$ 16 milhões para lidar com diarreia e cólera no Iémen

19 outubro 2016

Agência quer apostar em ações como tratamento de pacientes, purificação de água e apoio com artigos de higiene e saneamento; conflito deixou somente 45% das instalações de saúde em funcionamento.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, e os seus parceiros pediram um rápido apoio internacional para conter a propagação da diarreia aguda e da cólera no Iémen.

Cerca de US$ 16,6 milhões são urgentemente necessários para tratar água e apoiar os iemenitas com artigos de higiene e saneamento.

Deslocados vulneráveis

O país tem mais de 7,6 milhões de pessoas que vivem nas áreas afetadas pelo conflito. Destas, cerca de 3 milhões são deslocados internos e considerados “mais vulneráveis ao surto”.

Esta quarta-feira arranca uma trégua humanitária de 72 horas que poderá ser estendida pelas partes envolvidas nos confrontos.

Entretanto, os pacientes com diarreia grave chegam a 15,2 mil e precisam ser internados para tratamento. A previsão é que mais de 76 mil casos sejam registados em 15 províncias se não houver uma resposta sustentada para travar o surto.

Cólera

Até esta segunda-feira o país teve um total de 340 pacientes suspeitos de cólera a receber tratamento e não registou mortes.

A agência alerta que a saúde dos iemenitas já é debilitada por causa da falta alimentos, do aumento da desnutrição e da falta de serviços de saúde. Sem uma resposta de vários setores teme-se que os casos de diarreia possam subir.

O Iémen tem 45% das instalações de saúde a funcionar devido à falta de pessoal de saúde, medicamentos e suprimentos médicos.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia Mais:

ONU saúda trégua que arranca esta quarta-feira no Iémen

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud