Unicef pede a Irã para libertar ex-funcionário condenado a 10 anos BR

O Unicef pede a libertação do ex-funcionário com base em “razões humanitárias”. Imagem: Unicef

Unicef pede a Irã para libertar ex-funcionário condenado a 10 anos

Fundo das Nações Unidas para a Infância emitiu nota após sentença dada ao ex-chefe do Fundo no Egito, no Quênia e na Somália; Baquer Namazi, de 80 anos, foi preso em fevereiro em Teerã, capital iraniana.

Monica Grayley, da Rádio ONU.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, emitiu uma nota lamentando “com profundo pesar” o anúncio de que o ex-representante da agência foi condenado a 10 anos de prisão no Irã.

Baquer Namazi, 80 anos, está preso desde 22 de fevereiro. Na nota, o Unicef afirmou que a “família Unicef” está especialmente preocupada com a saúde o bem-estar de Namazi.

Motivo

A agência da ONU pediu a libertação do ex-funcionário com base em “razões humanitárias”.

Segundo agências de notícias, o ex-representante do Unicef foi detido vários meses depois do próprio filho dele ser preso no Irã.

Dois dias após a detenção de Baquer Namazi, a esposa dele Effie Namazi publicou em sua página de Facebook que o marido havia sido levado para uma prisão de Teerã, sem razão aparente. Segundo ela, o mesmo havia ocorrido com o filho do casal em outubro de 2015.

Aposentadoria

Na nota, divulgada nesta terça-feira, o Unicef afirmou que Baquer Namazi trabalhou incansavelmente pelas crianças de todos os países por onde passou e que ele merece “viver sua aposentadoria de forma pacífica”.

Segundo o Unicef, Baquer Namazi foi um humanitário durante toda a sua vida.  Desde a prisão do ex-funcionário em fevereiro, a agência tem emitido notas em solidariedade a Namazi.