Agência da ONU aumenta operações de emergência no sul de Madagáscar

5 outubro 2016

Programa Mundial de Alimentação, PMA, ampliou ações humanitárias em resposta aos índices crescentes de fome e desnutrição; terceiro ano consecutivo de seca aprofundou sofrimento de milhares de pessoas.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Com o terceiro ano consecutivo de seca a aprofundar o sofrimento de centenas de milhares de pessoas no sul de Madagáscar, o Programa Mundial da Alimentação, PMA, está a aumentar suas operações humanitárias em resposta a crescentes índices de fome e desnutrição.

Os resultados preliminares de uma avaliação de segurança alimentar de diversas agências, que deve ser divulgada em breve, mostra que quatro de nove distritos no local devem entrar na classificação de “emergência” até o fim do ano.

Ação Rápida

O PMA alertou ainda que se não houver ação rápida, três outros distritos podem seguir este caminho.

Ao concluir uma visita ao país, a diretora da agência da ONU, Ertharin Cousin, afirmou que a situação é “extremamente preocupante”. Ela ressaltou que o programa deve receber o financiamento necessário para respoder à questão “antes que seja tarde demais”.

El Niño

O sul de Madagáscar foi atingido duramente pelo fenómeno climático El Niño este ano, que resultou em menos chuvas em África Austral.

Para escapar da miséria, residentes de um em cada três residentesdomicílios no sul da ilha foram forçados a medidas desesperadas como pedir esmolas, vender sua terra ou casa, ou então migrar para outra região.

Quatro em cada 10 domiílios já consumiram todas as suas sementes, não deixando reservas para a temporada de plantio de novembro e dezembro.

Grávidas e crianças

Com financiamento adequado e apoio à resposta humanitária do governo de Madagáscar, o PMA vai aumentar suas ações a partir de novembro para levar comida e assistência financeira a cerca de 1 milhão de pessoas.

A agência também está a expandir seu programa para prevenir e tratar a desnutrição aguda em mais de 200 mil mulheres grávidas e lactantes, e em crianças com menos de cinco anos.

Merenda escolar

Atualmente, o PMA fornece uma refeição quente a cerca de 230 mil menores na escola primárias, e 42% destes estudantes estão no sul do país. Para a maioria dessas crianças, a merenda escolar é a única refeição nutritiva que recebem no dia.

Para garantir que os menores recebam a nutrição e educação que merecem, a agência alinha seu programa com parceiros no setor de educação.

A começar em 2017, o PMA, junto com o governo do país, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, o Banco Mundial e outros, planeja chegar a mais crianças com seu programa de merendas escolares.

Sementes resistentes

A começar neste mês, em apoio à temporada de plantio que se aproxima, o PMA vai fornecer comida a comunidades vulneráveis para complementar as ações da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, que vai fornecer ferramentas e sementes resistentes à seca.

O PMA enfrenta atualmente um déficit de US$ 78,5 milhões e precisa de US$ 92 milhões para sua resposta humanitária no sul de Madagáscar até março do ano que vem.

Leia e Ouça:

FAO e PMA fazem parceria para eliminar fome em Madagáscar

Entrevista: José Graziano da Silva

FAO quer US$ 108 milhões para ajudar famílias vulneráveis na África Austral8

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud