Ban lembra que mulheres do Afeganistão merecem espaço na política
BR

5 outubro 2016

Em conferência sobre o país, secretário-geral destaca que as afegãs precisam também ter a chance de participar dos processos de paz e ter seus direitos respeitados; chefe da ONU reafirma compromisso com a nação.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Em Bruxelas, na Bélgica, o secretário-geral das Nações Unidas reafirmou seu compromisso com o povo do Afeganistão. Ban Ki-moon participou de uma conferência de alto nível sobre o país.

Segundo ele, as Nações Unidas também buscam para o Afeganistão a paz, o crescimento inclusivo e o desenvolvimento sustentável. O papel das mulheres neste sentido precisa ser ampliado, de acordo com o secretário-geral.

Autonomia

Ban Ki-moon pede mais espaço para as mulheres afegãs, para que elas possam ter papel no campo político e nas decisões sobre a paz. Ele lembra ser “essencial garantir e promover os direitos das mulheres e a autonomia feminina”.

Na avaliação de Ban, o governo afegão tem avançado na promoção da transparência, combate à corrupção e melhorias no serviço público.

O secretário-geral destaca que o Plano Nacional de Paz e Desenvolvimento molda as prioridades do país para os próximos cinco anos. A ONU também está pronta para ajudar o Afeganistão a melhorar a credibilidade do processo eleitoral.

Durante a conferência em Bruxelas, Ban mencionou o custo da violência, afirmando que “o conflito continua sendo o principal obstáculo a um futuro próspero no Afeganistão”.

Prioridades

O chefe da ONU está “muito preocupado com o total de civis mortos e a quantidade crescente de pessoas obrigadas a fugir de suas casas devido à violência”. A organização calcula que o número de deslocados internos e refugiados afegãos deverá alcançar mais de 1 milhão de pessoas até o fim do ano.

Para consolidar os progressos, o apoio internacional ao Afeganistão será necessário por muitos anos e por isso Ban Ki-moon pede aos parceiros “compromisso e reforço das oportunidades para o povo afegão e ajuda para acabar com a pobreza”.

Segundo ele, os compromissos firmados na Conferência de Bruxelas fornecem “uma janela de oportunidades para os próximos quatro anos”. Ban terminou seu discurso com uma mensagem clara: a prioridade deve ser “manter o Afeganistão no caminho da estabilidade, da prestação de contas, da autoresiliência e colocar a população em primeiro lugar”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud