Índia usa aniversário de Gandhi para entregar ratificação do Acordo de Paris
BR

2 outubro 2016

Tratado está a 3% da entrada em vigor; ONU espera que pacto passe a valer antes do fim do ano;  país é responsável por cerca de 4,5% das emissões globais de gases de efeito estufa.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Índia entregou este domingo nas Nações Unidas os documentos de ratificação do Acordo de Paris sobre alterações climáticas.

O país, que responde por cerca de 4,5% das emissões globais de gases de efeito estufa, torna-se o 62º Estado a validar o tratado.

Emissões

O Acordo de Paris entrará em vigor quando for confirmado por 55 países que contribuem para pelo menos 55% das emissões globais.

Ao abrir a cerimónia, o embaixador da Índia junto às Nações Unidas disse que a escolha da data para depositar o documento está ligada ao Dia Internacional da Não Violência, que homenageia o pacifista indiano Mahatma Gandhi.

Syed Akbaruddin declarou que o legado de ambientalismo e o respeito pela sustentabilidade fazem parte das filosofias de Gandhi e das tradições "profundamente saudáveis" da Índia.

Esperança e Compromisso

O presidente da Assembleia Geral, Peter Thomson, afirmou que a medida era cheia de esperança e de compromisso.

Ele disse que o momento, que ocorreu no aniversário de nascimento do líder pacifista indiano, tem um ajuste especial associado às duráveis mensagens éticas de Gandi de humanismo, ambientalismo e pacifismo.

Ao apresentar a mensagem do secretário-geral da ONU, o vice-secretário-geral Jan Elisasson sublinhou o que chamou de “liderança indiana” em questões do clima.

Ele agradeceu o país pelo encorajamento e pelo reforço da dinâmica que é observada em todos os cantos do globo. Eliasson destacou que a ratificação do acordo pela Índia coloca o mundo a um passo de acelerar a entrada em vigor do histórico Acordo de Paris antes do fim do ano.

Temperatura Global

O tratado adotado por 185 nações, em dezembro, prevê que os países ricos e pobres tomem medidas para limitar o aumento da temperatura global.

Os Estados adotaram planos nacionais para reduzir as emissões de limitar o aumento da temperatura global a bem abaixo de 2°C.

Até 2030, a Índia comprometeu-se a gerar pelo menos 40% da sua eletricidade a partir de fontes não fósseis, o que inclui produzir 175 gigawatts de energia renovável até 2022.

Leia Mais:

Dia Internacional da Não Violência destaca sustentabilidade e meio ambiente

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud