“Dignidade e oportunidade para todos depende do acesso à habitação adequada”
BR

3 outubro 2016

Avaliação é do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em mensagem sobre o Dia Mundial da Habitação; data é celebrada nesta segunda-feira, 3 de outubro; Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável será realizada neste mês no Equador.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.*

Em mensagem sobre o Dia Mundial da Habitação, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, defendeu que garantir “dignidade e oportunidade para todos depende que as pessoas tenham acesso à habitação adequada e a preços acessíveis”.

A data é celebrada nesta segunda-feira, 3 de outubro. Na nota, Ban mencionou a Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável, conhecida como Habitat III. O encontro será realizado entre 17 e 20 de outubro em Quito, no Equador.

Habitat III

Realizada a cada 20 anos, o objetivo da conferência é refletir sobre o estado dos assentamentos humanos e sobre como o mundo quer que sejam as cidades do futuro.

Para o chefe da ONU, com o mundo embarcando neste ano na implementação da histórica Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, a Habitat III tem um “significado particular”.

Plano para paz

Ban ressaltou que a Agenda 2030 é um plano “abrangente, integrado e inclusivo para paz, prosperidade, dignidade e oportunidade para todas as pessoas em um planeta saudável”.

Segundo o secretário-geral da ONU, alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável vai depender, em grande parte, se será possível tornar as cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

Nova Agenda Urbana

Este é o objetivo da Nova Agenda Urbana, que governos adotarão na conferência em Quito, de acordo com o chefe da ONU.

O documento estabelecerá padrões globais para o desenvolvimento urbano sustentável e vai ajudar as pessoas a pensarem em como planejam, gerenciam e vivem nas cidades.

Sua elaboração terá sido resultado de um processo inclusivo e participativo entre governos e todos os atores urbanos.

População Global

Mais de metade da população global já vive em áreas urbanas e destes, aproximadamente um quarto vive em favelas ou assentamentos informais.

Ban ressaltou ainda que a expansão rápida e sem planejamento de cidades e municípios significa que um número cada vez maior de pessoas pobres e vulneráveis estão vivendo em condições precárias, sem espaço adequado para viver ou acesso a serviços básicos como água, saneamento, eletricidade e cuidados de saúde.

Segundo o chefe da ONU, muitas vezes essas pessoas não têm oportunidades de trabalho decente e ficam vulneráveis a despejos forçados e a ficarem sem teto.

Humanidade

Fornecer habitação adequada para todos é uma das maiores prioridades da Nova Agenda Urbana.

Ban afirmou ainda esperar que a conferência Habitat III ajude no progresso da agenda de desenvolvimento sustentável “para o benefício de toda a humanidade”.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia e Ouça:

ONU-Habitat apresenta ferramenta para medir impacto das cidades nas pessoas

Dois terços da população mundial devem viver em cidades até 2030

Moçambique: ONU-Habitat abre centro comunitário para energia renovável

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud