Nigéria: fome pode matar 75 mil menores devido ao conflito do Boko Haram

29 setembro 2016

Unicef  revela mais menores com vida “por um fio” em três estados do nordeste; mais da metade dos postos de saúde foram destruídos e instalações de água e saneamento precisam de reabilitação.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cerca de 75 mil crianças podem morrer durante o próximo ano por “condições similares à crise de fome” na Nigéria causadas pelo conflito originado pelas milícias  Boko Haram.

O alerta foi lançado esta quinta-feira pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, que pediu uma resposta rápida dos doadores e um apelo de US$ 115 milhões. A meta é apoiar a mais 750 mil pessoas no nordeste do país.

Acesso

O valor inicial do pedido era de US$ 55 milhões, mas as necessidades de ajuda subiram mais do que o dobro com acesso a áreas que estavam isoladas pelo conflito entre o governo e o grupo terrorista.

Estima-se que 400 mil menores de cinco anos estejam a sofrer de malnutrição nos três estados mais afetados pelos combates. No total, 4 milhões de pessoas enfrentam grave escassez e outras 65 mil vivem em condições similares à crise de fome, sendo a maioria no estado de Borno.

Para o diretor de Programas de Emergência do Unicef, a “vida das crianças está literalmente por um fio.” Afshan Khan explicou que a agência tem acesso a novas áreas para prestar ajuda essencial mas precisa de maior apoio internacional para aumenta-la e chegar a todas as crianças em extrema necessidade.

Reabilitação

Os esforços de resposta são agravados pela destruição em vilas e aldeias inteiras. O Unicef estima que 60% dos postos de saúde foram parcial ou completamente destruídos e 75% das instalações de água e saneamento precisam de reabilitação em Borno.

Cerca de 1 milhão de crianças foram deslocadas em todo o nordeste. Mais 1 milhão de menores estão fora da escola e centenas de milhares de outros estão “psicologicamente afetados pelos horrores vividos no conflito”.

Poliomielite e Nutrição

Em Borno há também receios de eclosão de um surto de pólio devido à falta de acesso às crianças. Três casos de vírus selvagem da doença foram confirmados em agosto e setembro.

Campanhas de emergência contra a poliomielite e em prol da nutrição decorrem em território nigeriano e em países vizinhos. Somente em Borno, a meta é atingir 1,8 milhões de crianças com a iniciativa que identifica e trata crianças com desnutrição grave.

Leia Mais:

Assistência alimentar é ampliada na Bacia do Lago Chade

Centenas voltam para casa após ofensiva ao Boko Haram na Nigéria

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud