PMA diz que alimentação escolar está ameaçada no Mali

29 setembro 2016

Agência da ONU precisa de US$ 3 milhões para comprar comida necessária para quase 180 mil crianças; ano letivo no país vai ter início na próxima semana.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, afirmou que a merenda escolar no Mali está ameaçada pela falta de financiamento.

A agência da ONU alertou que se não conseguir US$ 3 milhões urgentemente, terá de suspender o programa de comida para as escolas no país africano.

Refeição Nutritiva

A diretora do PMA no Mali, Silvia Caruso, afirmou que o momento é crítico. A merenda escolar é “geralmente a única refeição nutritiva que as crianças consomem por dia”.

A situação fica mais complicada porque o ano letivo no Mali começa na próxima semana quando quase 180 mil crianças voltam a frequentar as cerca de mil escolas do país.

Caruso disse que a merenda serve como um alívio financeiro para as famílias, motiva os pais a enviar as crianças para a escola e, funciona como incentivo à educação.

Risco

A diretora do PMA contou que “para os professores se os alimentos não forem mais fornecidos, há um risco significativo de os pais pararem de enviar os filhos para a escola”.

Silvia Caruso disse que “é difícil que as crianças caminhem por longas distâncias ou permaneçam nas salas de aula por um dia inteiro e de estômago vazio”.

Apesar do alto nível de insegurança, especialmente nas regiões central e nordeste do país desde 2012, o PMA e seus parceiros têm conseguido fornecer merenda escolar para uma média de 170 mil crianças por ano, sendo metade delas meninas.

*Apresentação: Mônica Grayley

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud