Processo eleitoral adiado por 30 dias na Somália
BR

27 setembro 2016

Representante especial do secretário-geral da ONU no país fez um informe nesta terça-feira ao Conselho de Segurança; para Michael Keating, atraso levanta “uma série de medos”, entre eles manipulação e novos adiamentos.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu nesta terça-feira para discutir a situação na Somália.

O representante especial do secretário-geral no país, Michael Keating, informou ao órgão que, na segunda-feira, a comissão eleitoral, ou Fieit, anunciou que a votação que seria realizada no país precisará de mais 30 dias adicionais.

Medos

Isto significa que as eleições parlamentares serão agora realizadas entre 23 de outubro e 10 de novembro, e as eleições presidenciais em 30 de novembro.

Segundo Keating, o “novo atraso causa uma série de medos”.

O representante especial do secretário-geral citou dois: de que o processo esteja sendo manipulado politicamente e de que este atraso seja apenas mais um adiamento.

Manipulação

Keating afirmou que “o espaço para manipulação política do processo permanece alto”.

O representante da ONU diz que está acompanhando de perto o trabalho do Fieit e seus pares regionais, Sieits. Keating acredita que esse atraso adicional não tenha sido “orquestrado por nenhum ator buscando benefício político”.

Para ele, o mais importante neste momento é que esta nova prorrogação não crie espaço adicional para manipulação ou distúrbios.

Leia e Ouça:

Com eleições em vista, Somália é tema de encontro de líderes mundiais

Liberdade de expressão é crítica para transição política na Somália

Representante da ONU condena ataque terrorista a hotel na Somália

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud