OMS lança nova iniciativa para combater maior causa de mortes no mundo
BR

22 setembro 2016

Mais de 17 milhões de pessoas perdem a vida, anualmente, de doenças cardiovasculares, principalmente infartos e derrames; em entrevista à Rádio ONU, porta-voz da iniciativa afirmou que maioria dos casos é em países em desenvolvimento.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Às margens dos debates da 71ª Assembleia Geral da ONU, a Organização Mundial da Saúde, OMS, e parceiros lançaram a iniciativa “Global Hearts” ou “Corações Globais”.

O objetivo é combater a ameaça global das doenças cardiovasculares, incluindo ataques cardíacos e derrames, a principal causa de morte do mundo. Na véspera do lançamento, o porta-voz da iniciativa, Etienne Krug, conversou com a Rádio ONU.

Principal Causa

“Cada ano, 17 milhões de pessoas morrem de enfermidades cardíacas. Lançamos a iniciativa ‘Corações Globais’ para atacar as enfermidades cardíacas, mais que tudo o infarto e os derrames. Hoje em dia, a causa número um de mortes no mundo são essas, os infartos e os derrames, e precisa de uma resposta porque é um problema que podemos prevenir, podemos melhorar também o tratamento para evitar essas mortes. A ideia da iniciatia é realmente trabalhar com os países para melhorar a prevenção e o tratamento.”

Segundo a OMS, muitas das pessoas que morrem de doenças cardiovasculares foram “expostas a comportamentos poucos saudáveis”, incluindo o uso de tabaco, consumo de comidas com muito sal e atividade física “inadequada”.

Prevenção e Tratamento

“O consumo de tabaco, o consumo de sal, a hipertensão são as causas mais importantes que temos que atacar, também a atividade física é muito importante para a prevenção. De um lado. Do outro lado, muitas pessoas têm hipertensão e não sabem. É preciso detectar e tratar esse problema para evitar que chegue a piorar e haver ataque cardíaco, infarto ou derrame.”

A iniciativa Corações Globais é parte de um novo esforço para aumentar a prevenção e o controle das doenças cardiovasculares, especialmente em países em desenvolvimento.

Países em Desenvolvimento

“É importante saber que esses problemas cardíacos não são um problema de países ricos como foi pensado durante muito tempo, é um problema de todos os países. A maioria dos casos de infarto, de derrame não é nos países ricos, é nos países mais pobres, onde a alimentação tem muita gordura, muito sal, a população fuma mais e não há sistema para detecção da hipertenção e o tratemento.”

O programa é uma colaboração entre a OMS, o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos e outros parceiros.

A iniciativa será iniciada em 12 países, entre eles Colômbia, Índia, Irã, Jordânia, Nigéria e Tailândia, e será aberta a todas as nações que quiserem participar.

Vidas Salvas

Para a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, a iniciativa Corações Globais pode salvar milhões através do aumento de medidas comprovadas para prevenir doenças cardiovasculares em comunidades e países.

As ações incluem taxação do tabaco, reduzir sal na comida, detectar e tratar pessoas com alto risco e fortalecer serviços de saúde primária.

Segundo a OMS, usando tais medidas, os Estados Unidos reduziram as mortes por doenças cardiovasculares em mais de 40% e a Finlândia em 80% entre homens.

Acompanhe na Rádio ONU a cobertura da 71ª sessão da Assembleia Geral da ONU.

Leia e Ouça:

OMS eleva para mais cinco anos a expectativa de vida global desde 2000

OMS quer mais impostos para combater epidemia do tabaco

Especialistas alertam para ligação entre nutrição, câncer e doenças crônicas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud