Banco Mundial: América Latina tem água em abundância, mas não saneamento
BR

22 setembro 2016

Apesar dos avanços feitos na região, 106 milhões de pessoas ainda não dispõem de banheiro em casa.

Mariana Ceratti, de Brasília*, para a Rádio ONU.

A América Latina é a região com mais água doce no planeta: Brasil, Colômbia e Peru figuram entre os 10 países com a maior quantidade de recursos hídricos. Mas nem todos os cidadãos podem usufruir deles.

Segundo dados do Banco Mundial, 20% da população ainda não conta com saneamento melhorado, que, de forma higiênica, separa os dejetos humanos do meio ambiente.

Banheiro

Apesar dos avanços sociais e econômicos da última década, 106 milhões de latino-americanos ainda não dispõem de banheiro em casa. Além disso, 34 milhões não têm acesso constante a água potável.

Outro dado preocupante do Banco Mundial é que mais de 70% das águas são despejadas sem tratamento nos rios e oceanos da região.

As estatísticas dão uma ideia do desafio que será alcançar o sexto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas. O ODS 6 busca, até 2030, proporcionar acesso universal e equitativo à água potável, a um preço acessível a todos.

Atualmente, 91% da população global tem acesso a uma fonte de água potável melhorada, ou seja, protegida da contaminação fecal e química.

Em 1990, eram 76%. Mas ainda restam ao menos 1,8 bilhão de pessoas que usam uma fonte de água contaminada com matéria fecal.

Estresse hídrico

O ODS 6 também tem como meta pôr fim à defecação ao ar livre e oferecer saneamento a todas as pessoas. Em todo o mundo, 2,4 bilhões de pessoas carecem desse serviço.

O estudo “Indicadores de Desenvolvimento 2016”, do Banco Mundial, calcula que a economia global perde cerca de US$ 250 bilhões por ano pela falta de serviços adequados de água e saneamento.

Outro desafio apontado pelo relatório está na disponibilidade de recursos hídricos em todo o planeta. Ela caiu pela metade nos últimos 50 anos, enquanto a demanda por água só aumentou.

Enquanto a América Latina ainda tem água em abundância, o Oriente Médio e Norte da África e o Sul da Ásia são as regiões mais carentes desse recurso. Nelas, há menos de 1.700 metros cúbicos disponíveis por pessoa ao ano, o que as coloca em estado de estresse hídrico.

*Reportagem do Banco Mundial Brasil.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud