Enviado da ONU quer “negociações diretas” para solucionar guerra na Síria
BR

21 setembro 2016

Representante do secretário-geral afirmou que conflito não pode ser resolvido militarmente; Staffan de Mistura disse que transição política deve ter poder compartilhado.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O enviado do secretário-geral da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, quer que as partes em conflito na Síria realizem “negociações diretas” na próxima reunião entre representantes do governo e dos grupos de oposição.

De Mistura afirmou que a guerra na Síria não pode ser resolvida militarmente.

Consenso

Ele disse que nos últimos dois anos, a ONU tem “se engajado de forma extensiva com todos os lados do conflito, seja em reuniões em Genebra ou na região” para tentar resolver a crise.

O enviado da ONU declarou que “apesar dos horrores no campo de batalha, as partes chegaram a alguns pontos de consenso durante as conversações sobre princípios de governo”.

Staffan de Mistura lembrou que governo e oposição aceitaram que a agenda dos debates é realmente sobre transição política.

Poder

Ele afirmou que o governo sírio deve compreender que “a transição envolve uma genuína devolução de poder” e não somente “a absorção da oposição junto ao governo” como acontece atualmente.

Ao mesmo tempo, de Mistura disse que a oposição precisa entender que transição não é “somente sobre uma pessoa ou um presidente” ou a transferência de poder de um grupo político para outro”.

Segundo o enviado da ONU, “a transição é sobre o poder ser exercido através de negociações e de consenso mútuo”.

Leia Mais:

Ban afirma que "a tragédia síria envergonha a todos"

Estados Unidos vão reassentar 110 mil refugiados a partir de outubro

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud