Mais de 300 mil refugiados e migrantes cruzaram o Mediterrâneo este ano
BR

20 setembro 2016

Dados são do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur; número de pessoas que cruzaram o mar para chegar à Europa é menor do que no ano passado.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A agência da ONU para Refugiados, Acnur, afirmou que mais de 300 mil refugiados e migrantes atravessaram o Mar Mediterrâneo para chegar à Europa, este ano.

Segundo o porta-voz do Acnur, William Spindler, o resultado é bem menor do que os “520 mil que fizeram a travessia pelo mar durante os nove primeiros meses de 2015”. Ao mesmo tempo, ele é maior do que as 216 mil chegadas registradas em 2014.

Mortes

Spindler disse que apesar da redução de 42% nas travessias pelo Mediterrâneo, o número de mortes está bem próximo. No ano passado foram registrados 3.771 óbitos e até agora neste ano foram 3.211.

O porta-voz afirmou que se a tendência atual continuar, 2016 pode se tornar o ano com mais mortes no Mediterrâneo.

Segundo ele, as chegadas na Itália estão parecidas com as do ano passado com 130 mil agora contra 132 mil.

No caso da Grécia, o país que recebeu mais de 385 mil pessoas entre janeiro e setembro de 2015, viu esse fluxo cair 57%, para 165 mil até este momento em 2016.

Síria e Afeganistão

Segundo o Acnur, os sírios representam quase metade dos refugiados e migrantes que chegam à Grécia, seguidos pelos afegãos, iraquianos, paquistaneses e iranianos.

Na Itália, a maioria vem da Nigéria, seguida pela Eritreia, Gâmbia e Guiné. Mas no geral, na região do Mediterrâneo, cidadãos de cinco países representam 68% dos refugiados que chegam à Europa, são eles, Síria, Afeganistão, Iraque, Nigéria e Eritreia.

Leia Mais:

Assembleia Geral inicia nesta terça-feira série de debates internacionais

Brasil abre debates da Assembleia Geral com discurso de Michel Temer

Reunião sobre Refugiados e Migrantes