Portugal vai apoiar Missão Política da ONU na Colômbia

20 setembro 2016

Presidente Marcelo de Sousa deve definir forma de participação com liderança militar do seu país; apoio em território centro-africano é coordenado com a União Europeia.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse à Rádio ONU que o seu país deve apoiar a Missão das Nações Unidas na Colômbia. O formato ainda será definido por especialistas militares para ser aprovado pelo chefe de Estado português.

O anúncio foi feito à Rádio ONU durante uma entrevista sobre a participação do país na Assembleia Geral.

Vocação

“Portugal vai enviar o seu contributo agora para a pacificação da Colômbia. Isso quer dizer que pela primeira vez, de forma clara, para quem não estava sabendo é que quando se diz que Portugal tem uma vocação atlântica não é apenas Atlântico Norte ou Atlântico Sul com o Brasil e África. É  com todo o Atlântico. Haverá antes da Cimeira da Cplp a Cimeira da Organização Ibero-Americana.”

Ao ser perguntado sobre o tamanho do contingente, o presidente português disse que o tema ainda seria apreciado.

Rebelo de Sousa afirmou que Portugal define a sua presença em missões de paz como “uma maneira de olhar para causas de fenómenos sociais”. Este ano, o país decidiu enviar 160 militares para o território centro-africano.

Aliança

“Já agora no meu mandato foi tomada uma decisão no quadro das Nações Unidas relativamente à República Centro-Africana, de disponibilidade para o envio de Forças Armadas portuguesas para essa missão. Mais uma na conjugação entre missões da União Europeia, missões das Nações Unidas, e no quadro mais específico em termos territoriais da Aliança Atlântica, Portugal está sempre atento e operacional.”

O Conselho de Segurança aprovou, na semana passada, que a missão na Colômbia terá 450 observadores desarmados e uma parte civil após o acordo entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo, Farc-EP.

Participação

Portugal já apoia a missão da ONU no Mali com um avião de transporte C-130. Em 2014, o país comandou a mesma aeronave e uma tripulação de quase 50 pessoas na nação africana.

A presença portuguesa em operações de paz inclui a participação em Timor-Leste, entre 1999 e 2003, e o Líbano entre 3006 e 2012.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

Chefe da ONU se reúne com líderes de Portugal e Guiné-Bissau

Na ONU, Marcelo Rebelo de Sousa reafirma diplomacia portuguesa

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud