Reunião na ONU sobre refugiados marca compromisso inédito
BR

19 setembro 2016

Afirmação foi feita pelo chefe do Acnur durante Conferência sobre Refugiados e Migrantes; Filippo Grandi disse que o mundo exige ações e resultados práticos para lidar com a crise global de refugiados e migrantes.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, Filippo Grandi, afirmou que a Declaração de Nova York marca um “compromisso político de força sem precedentes e ressonância”.

Em discurso na Conferência sobre Refugiados e Migrantes, na Assembleia Geral, Grandi disse que o documento cobre “uma lacuna no sistema internacional de proteção, que é sobre a responsabilidade compartilhada”.

Emergências e Crises

Ele disse que na busca de soluções durante emergências e crises prolongadas, a comunidade internacional deve ter condições de agir e engajar vários setores ao mesmo tempo através de cooperações acordadas anteriormente.

O alto comissário deu como exemplo Uganda, onde o governo mantêm uma política de “porta-aberta” e que mobilizou vários parceiros e instituições numa resposta baseada em educação e meios de subsistência.

Ações e Resultados

Grandi disse que o Acnur está “olhando para todos para alcançar engajamento político, financiamento e apoio técnico na busca de soluções”.

Ele lembrou que o “mundo, chocado por imagens de pessoas fugindo e morrendo em travessias pelo mar, não quer que as intenções da declaração fiquem somente no papel”.

Filippo Grandi disse que o mundo exige ações e resultados práticos para lidar com a crise global de refugiados e migrantes.

Presidente Assembleia Geral

O novo presidente da Assembleia Geral, Peter Thomson, prometeu “avançar com os compromissos adotados pelos países em relação à Declaração de Nova York.

Thomson disse que vai iniciar o processo que levará a um pacto global sobre migração, assim como a um pacto global sobre os refugiados.

O chefe da Assembleia Geral pedirá aos governos que mantenham “os altos níveis de ambição através de todo o processo, e que sempre busquem algo a mais”.

No discurso na conferência, Thomson afirmou que “o destino de milhões de refugiados e migrantes está nas mãos dos Estados-membros”.

Leia Mais:

Reunião sobre Refugiados e Migrantes

Na ONU, Temer pede ação global salvar vidas de refugiados e migrantes

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud