Conflito continua a causar deslocamentos no Sudão do Sul

6 setembro 2016

Organização Internacional para Migrações informa que civis estão a abandonar suas casas em áreas que antes estavam estáveis; 80 mil estão desalojados em Wau e 12 mil na capital Juba.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Os confrontos entre grupos armados no Sudão do Sul continuam a causar deslocamentos pelo país, inclusive em áreas que estavam relativamente estabilizadas. A afirmação foi feita esta segunda-feira pela Organização Internacional para Migrações, OIM.

Movimentos de civis estão a ocorrer em várias regiões, como nos estados da Unidade, Jonglei, Ghazar e Equatória Central e Equatória Oriental. Segundo a OIM, nos últimos dois meses, mais de 80 mil pessoas abandonaram suas casas em Wau e 12 mil na capital Juba.

Refugiados

O chefe de operações da OIM no Sudão do Sul declarou que as necessidades humanitárias são cada vez maiores no país. Mas John McCue destaca que está mais difícil para as equipas conseguirem acesso à população vulnerável devido a focos de violência em novas áreas.

Muitos sul-sudaneses continuam a buscar abrigo em países vizinhos, como Uganda e Quénia. Os sítios da ONU de proteção de civis continuam a receber desalojados, especialmente em Bentiu.

Conselho de Segurança

Uma delegação do Conselho de Segurança acaba de sair do Sudão do Sul. Os embaixadores foram checar de perto as necessidades dos deslocados e a situação de segurança no país.

Mais de 1,6 milhão de pessoas estão deslocadas no Sudão do Sul, além de 786 mil que buscaram abrigo em países vizinhos desde que os conflitos começaram em dezembro de 2013. Mais da metade da população, ou 6,1 milhões de pessoas, necessitam receber algum tipo de assistência humanitária.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud