Entrevista: Resistência a antibióticos

30 agosto 2016

A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou esta terça-feira um novo guia para o tratamento de três doenças sexuais transmissíveis, DSTs: sífilis, gonorreia e clamídia.

A decisão da agência da ONU foi tomada em resposta ao aumento da resistência dessas doenças aos antibióticos. Os especialistas disseram que todos esses problemas são causados por bactérias e, geralmente, são curados com o uso de remédios.

A pró-reitora de extensão da Universidade Federal do Espírito Santo, e integrante do grupo de desenvolvimento das diretrizes para infecções sexualmente transmitidas da OMS, Angélica Espinosa Miranda, participou da preparação do guia.

De Vitória, no Espírito Santo, em entrevista à Rádio ONU, a médica falou sobre a situação no Brasil.

Ela disse que “não só no Brasil, mas em outras partes do mundo, essas doenças tiveram um aumento expressivo nas últimas décadas”.

Segundo espinosa Miranda, “a infecção com a clamídia é bem frequente no Brasil”. O último estudo nacional mostra que aproximadamente 10% das mulheres jovens estão infectadas.

A médica afirmou que no caso da gonorreia, a preocupação é com as cepas resistentes aos antibióticos.

A OMS calcula que mais de 214 milhões pessoas no mundo contraem essas infecções todos os anos, sendo que clamídia e gonorreia são as mais comuns.

Acompanhe a entrevista com Edgard Júnior.

Duração: 04'44"

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud