No Lago Chade, 1 milhão de crianças estão sob o cerco do Boko Haram

25 agosto 2016

Unicef explica que esses menores estão a viver em áreas de difícil acesso para a entrega de assistência humanitária; outros 1,4 milhão de menores estão desalojados e agência pede que eles não sejam esquecidos.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, divulgou esta quinta-feira um relatório a alertar sobre os impactos de anos de violência causada pelo grupo terrorista Boko Haram na região africana do Lago Chade.

Com as ações da milícia islamita, 1,4 milhão de crianças precisaram abandonar suas casas e agora estão desalojadas. Além disso, pelo menos 1 milhão estão cercadas em áreas difíceis de serem alcançadas pelas agências humanitárias.

Acesso

O diretor do Unicef para África Ocidental e Central declarou que a crise no Lago Chade está a afectar imenso as crianças e por isso deveria estar no topo da agenda global de migração e deslocamento.

Manuel Fontaine explicou que as necessidades humanitárias estão a ultrapassar a resposta, especialmente agora que algumas áreas no nordeste da Nigéria voltaram a ficar acessíveis.

Impactos

O relatório “Crianças em Movimento, Crianças Esquecidas” é lançado antes da Cimeira da ONU sobre Refugiados e Migrantes, a decorrer em 19 de setembro. O documento do Unicef analisa o impacto das ações do Boko Haram na vida das crianças da Nigéria, Camarões, Chade e Níger.

Atualmente, 2,6 milhões de pessoas estão deslocadas na região do Lago Chade e além disso, 2,2 milhões estão sob cerco em áreas controladas pelo Boko Haram, sendo metade delas crianças.

Ataques

O Unicef calcula que pelo menos 38 menores de idade foram obrigados a realizar ataques suicidas neste ano. Desde 2014, 86 crianças foram utilizadas como bombistas.

A desnutrição severa é outro problema a afectar 475 mil crianças da região. E somente no nordeste da Nigéria, 20 mil menores foram separados de suas famílias.

Entre as pessoas desalojadas, 8 entre 10 estão abrigadas com familiares ou vizinhos, o que faz aumentar a pressão nas comunidades mais pobres, que precisam dividir o pouco que tem com os deslocados.

Financiamento

Junto a parceiros, o Unicef trabalha para ajudar crianças e suas famílias nas áreas em conflito. Somente neste ano, 170 mil menores receberam ajuda psicológica e 100 mil receberam tratamento para malnutrição.

Mas o Unicef recebeu apenas 13% do financiamento de US$ 308 milhões necessários para entregar assistência humanitária às famílias afectadas pela violência do Boko Haram. O apelo é para que os doadores enviem a quantia necessária para aumentar a resposta às comunidades do Lago Chade.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud