Autoridades do Burundi formadas para combater o tráfico humano

24 agosto 2016

Iniciativa é do Unicef, da OIM e do Escritório da ONU para os Direitos Humanos; funcionários do governo abordam melhores formas de tratar vítimas e como agir em caso de tráfico de crianças.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Decorre esta semana na capital do Burundi, Bujumbura, uma formação para autoridades do governo com foco na prevenção e no combate ao tráfico de pessoas.

A iniciativa é da Organização Internacional para Migrações, OIM, juntamente com o Fundo da ONU para Infância, Unicef, e o Escritório da ONU para os Direitos Humanos.

Contrabando

Na capacitação, até quinta-feira, os participantes aprendem conceitos ligados ao tráfico humano, identificação das vítimas e técnicas de investigação.

Segundo a OIM, o objetivo é também ajudar os participantes a entenderem diferenças entre tráfico e contrabando e aprender as melhores práticas de atendimento às vítimas.

Menores de Idade

Outro ponto do curso é ajudar a entender a natureza do tráfico de crianças e qual a maneira de responder ao tipo de crime. A OIM revela que os participantes também vão desenvolver um plano de ação de combate ao tráfico humano no Burundi.

Esta é a primeira atividade do tipo organizada por OIM e agências da ONU, em parceria com os Ministérios da Segurança Pública, dos Direitos Humanos, da Assistência Social e Género e dos Negócios Estrangeiros.

O Burundi está na lista de países de um relatório publicado este ano pelo Departamento de Estado Norte-Americano, onde os governos não cumprem com os padrões mínimos de combate ao tráfico humano ou não fazem esforços suficientes nesse sentido.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud