Enviado da ONU encerrou reunião humanitária e pede trégua na Síria
BR

18 agosto 2016

Staffan de Mistura quer 48 horas de pausa nos conflitos para entrega de ajuda; ele disse que “não há sentido realizar uma reunião a menos que haja alguma ação no lado humanitário na Síria”.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, encerrou com apenas oito minutos a reunião da Força Tarefa Humanitária que estava sendo realizada, esta quinta-feira, em Genebra.

Falando a jornalistas, de Mistura disse que “não há sentido realizar uma reunião a menos que haja alguma ação no lado humanitário na Síria”.

Foguetes e Bombardeios

Ele afirmou que esta sexta-feira, 19 de agosto, é o Dia Mundial da Ação Humanitária e na Síria “o que se vê e o que se escuta é apenas luta, foguetes, morteiros, canhões, bombardeios e terroristas suicidas”.

O enviado especial da ONU declarou que “nenhum comboio de ajuda conseguiu alcançar as áreas sitiadas por tropas do governo e da oposição neste mês”.

A razão, segundo de Mistura, são as lutas e confrontos nessas regiões. Ele disse que o Programa Mundial de Alimentos, PMA, está realizando lançamentos aéreos de comida em Deir ez-Zor, onde vivem 200 mil pessoas em áreas controladas pelo governo sírio.

Pausa

Staffan de Mistura explicou que decidiu adiar a reunião porque o necessário agora é “uma pausa de pelo menos 48 horas para alcançar qualquer coisa significativa em Alepo”.

Ele afirmou que esse período vai permitir que comboios humanitários da ONU sigam pela rodovia Castello até Alepo.

Leia Mais:

Enviados da ONU para Síria querem cessar-fogo de 48 horas em Alepo

Cerco em Alepo: população só tem suprimentos para mais três semanas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud