Ban afirma que não há solução militar para crise no Iêmen
BR

15 agosto 2016

Secretário-geral condenou ataque aéreo no sábado que matou pelo menos 10 crianças; ele pediu uma investigação imediata para encontrar os responsáveis pela ação.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que não existe “solução militar para a crise no Iêmen”.

Ban condenou o ataque aéreo a uma escola em Saada, no nordeste do país, no sábado passado. Pelo menos 10 crianças morreram e mais de 20 ficaram feridas.

Investigação Imediata

O chefe da ONU lamentou que civis, incluindo crianças, continuam “pagando o preço” pelo aumento das lutas e das operações militares no Iêmen.

Ele pediu a abertura de uma investigação imediata para apurar essa tragédia e apelou a todas as partes envolvidas no conflito que adotem as medidas necessárias para evitar mais violações das leis internacionais e de direitos humanos.

Ban disse que os lados envolvidos na crise devem fazer o que for possível para proteger os civis e a infraestrutura do país.

O secretário-geral quer que todas as partes renovem, sem demora e em boa fé, o contato com o enviado especial da ONU para o Iêmen para que se possa chegar a uma solução negociada para o conflito.

Unicef

No sábado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, também condenou o ataque aéreo no Iêmen.

Segundo a agência da ONU, 21 menores de idade ficaram feridos na ação contra uma escola religiosa em Saada.

Violência

O Unicef informou que as crianças mortas tinham entre seis e 14 anos e estavam estudando  no momento do ataque. Os sobreviventes estão sendo tratados no hospital local.

O Fundo da ONU para a Infância disse que “com a alta da violência no país, na semana passada, o número de crianças mortas e feridas em ataques aéreos, confrontos nas ruas e explosão de minas terrestres aumentou muito”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud