ONU pede apoio para 90 dias devido à escassez na Bacia do Lago Chade

10 agosto 2016

Organização alerta que período será crucial pela época das chuvas e combates contra movimento islamita Boko Haram; mais de 9 milhões de pessoas precisam de apoio humanitário na área.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de 250 mil afetados pela crise humanitária vão precisar de ajuda de emergência nos próximos três meses na Bacia do Lago Chade.

O Escritório da ONU  para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, anunciou um plano de resposta para os Camarões, o Níger, a Nigéria e o Chade que foi desenvolvido por agências do setor. O objetivo é priorizar a assistência às populações vulneráveis, até o fim de setembro.

Boko Haram

No fim de julho, o Conselho de Segurança emitiu um pedido de auxílio aos países para a área africana pela “grande preocupação com a situação dramática” causada pela ação das milícias terroristas islâmicas Boko Haram.

O apelo do Ocha é que haja apoio imediato à comunidade humanitária para responder as necessidades prioritárias e salvar vidas. Cerca de 9,2 milhões de pessoas precisam de assistência humanitária na região.

Estação das Chuvas

Para o caso chadiano, a resposta é essencial em várias áreas para evitar que as atuais vulnerabilidades piorem. O país está à beira da estação chuvosa, que é marcada pela escassez de alimentos.

Decorrem ainda operações militares de combate ao Boko Haram, que impedem o acesso normal aos serviços sociais essenciais.

Leia e Oiça:

ONU aplaude doação de €50 milhões contra ameaça terrorista do Boko Haram

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud