Cerca de 1 milhão de sul-sudaneses podem viver nos países vizinhos em 2016

8 agosto 2016

Ocha revela que milhares de pessoas fogem por dia para o Uganda; recém-chegados relatam ataques, bloqueios de estradas, saques e ameaças de grupos armados que ameaçam mais confrontos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, citou estatísticas prevendo mais de 973 mil refugiados do Sudão do Sul nos países vizinhos até o fim de 2016. A região já conta com mais de 900 mil cidadãos sul-sudaneses.

A estimativa leva em conta os milhares de pessoas que fogem por dia para o Uganda. O país acolhe mais de 60 mil sul-sudaneses da onda de violência iniciada a 8 de julho.

Propriedades

Os deslocados da área sul-sudanesa de Yei falam de cartas anónimas que circulam anunciando combates a partir desta semana. Numa estrada que liga as áreas de  Elegu e Juba, grupos armados “saqueiam propriedades e atacam civis.”

Os relatos apontam ainda para o alastramento da violência para outras partes do Sudão do Sul. Há informações dando conta de bloqueios de estrada que são realizados por grupos armados na via que liga Juba ao trajeto que dá acesso ao Uganda.

Dinheiro

Os grupos estariam a saquear civis que tentam fugir para o país vizinho e a exigir dinheiro para autorizar a sua passagem.

O Ocha anunciou que decorre um rastreio de desnutrição aos recém-chegados ao mesmo tempo que programas suplementares de alimentação para os que sofrem da condição.

Leia e Oiça:

ONU cita "morte e estupro de civis por forças de segurança" no Sudão do Sul 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud