Puntlândia e Somalilândia têm 40% dos seus habitantes a precisar de auxílio

3 agosto 2016

Nas duas regiões somalis vivem 4,6 milhões de pessoas; cerca de 100 mil crianças com menos de cinco anos enfrentam desnutrição aguda; Somália registou mais de 10 mil casos e 480 mortos devido à cólera até junho.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e o Programa Mundial de Alimentação, PMA, atuaram em parceria para ajudar a “baixar os níveis alarmantes de insegurança alimentar e desnutrição” em áreas da Somália.

Nas regiões semi-autónomas da Puntlândia e da Somalilândia, cerca de 40% dos 4,6 milhões de habitantes precisam de algum tipo de assistência humanitária e de meios de subsistência.

Assentamentos

Os beneficiários do apoio entre janeiro e junho foram habitantes das áreas afetadas pela seca devido ao impacto do fenómeno climático El Niño no norte. A ajuda também foi dada a deslocados que vivem em assentamentos.

A seca grave foi resultado das chuvas abaixo da média que foram registadas em épocas consecutivas.

Estima-se que 100 mil crianças com menos de cinco anos enfrentem desnutrição aguda e precisem de tratamento urgente na Puntlândia e na Somalilândia.

Cólera

Casos de cólera foram detetados no centro e sul da Somália no primeiro semestre. No período, foram confirmados mais de 10 mil pacientes e 480 mortes devido ao surto que foi associado a doenças diarreicas.

A taxa de mortalidade devido aos surtos foi de 4,4%, uma percentagem considerada “bem acima do limite de emergência de 1%”.

A Organização Mundial da Saúde destacou que crianças com menos de cinco anos representaram 59% dos pacientes. De acordo com a OMS, 47% dos doentes eram de sexo feminino.

Leia e Oiça:

Ban: "crianças pagam o preço mais alto em tempos de guerra"

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud