Nigéria: malnutrição pode matar mais de 130 crianças por dia em Borno

19 julho 2016

Unicef revela 244 mil menores em estado grave e 49 mil a enfrentar morte iminente; tamanho da crise é revelado com acesso de agências humanitárias às áreas que eram controladas pelo movimento islamita Boko Haram.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Cerca de 250 mil crianças enfrentam desnutrição grave e risco de morte no estado nigeriano de Borno, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

O diretor regional da agência para a África Ocidental e Central, Manuel Fontaine, prevê a morte de “uma média de 134 crianças por dia” por causas relacionadas à desnutrição aguda, se a resposta não for rapidamente aumentada.

Emergência

A agência indica que a principal razão é a escalada da crise humanitária provocada pela emergência devido à presença das milícias islamitas Boko Haram.

Em nota, o Unicef destaca que a dimensão da crise nutricional que afeta as crianças é mais evidente à medida que mais áreas no nordeste vão se tornando mais acessíveis à assistência humanitária.

O apelo aos parceiros é que estes “se juntem à resposta humanitária e que os doadores forneçam recursos urgentemente”.

Além das 244 mil crianças que este ano são vítimas da desnutrição aguda grave em Borno, cerca de 49 mil menores podem morrer se não forem tratados. O número equivale a um em cada cinco menores.

Crise

Fontaine retornou de uma visita a Borno e revelou que é preciso que todos os parceiros e doadores avancem para evitar a morte de mais crianças porque “ninguém pode assumir uma crise desta dimensão sozinho”.

Em áreas que antes eram controladas pelo Boko Haram, Fontaine disse ter testemunhado cidades destruídas. Os deslocados e famílias têm pouco acesso ao saneamento adequado, à água ou aos alimentos e milhares de crianças frágeis precisam desesperadamente de ajuda.

O representante disse haver 2 milhões de pessoas que ainda não foram alcançadas em Borno, o que significa que a “verdadeira dimensão da crise ainda está por ser revelada ao mundo".

Qualidade

Ele destacou ainda que as organizações no terreno fazem um grande trabalho, mas que nenhuma era capaz de trabalhar naquelas proporções e com a qualidade necessária.

O Unicef examina e trata crianças com desnutrição e melhora o acesso à água e ao saneamento atuando com parceiros. A resposta humanitária inclui cuidados médicos, vacinação, educação e apoio psicológico às crianças afetadas pela violência.

A agência anunciou que recebeu apenas 41% do US$ 55,5 milhões do apelo para responder à crise humanitária no nordeste da Nigéria em 2016.

A previsão para as próximas semanas é que as necessidades aumentem de forma significativa com o acesso a novas áreas que têm grandes necessidades humanitárias.

Leia e Oiça: 

ONU volta a alertar para o aumento da malnutrição e da fome da Nigéria

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud