ONU alerta que “tempo está a esgotar-se” para nigerianos do nordeste

8 julho 2016

Responsável humanitário regional visitou áreas afetadas pelo Boko Haram;  mais de 4,4 milhões de nigerianos enfrentam insegurança alimentar severa; coordenador alerta para sofrimento “nunca antes visto”.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Um responsável das Nações Unidas alertou esta sexta-feira que “o tempo está a esgotar-se” para as populações mais pobres que vivem em áreas rurais no nordeste da Nigéria.

No fim de uma visita à área, o coordenador Humanitário da ONU para o Sahel  disse que “se não houver ação agora, o sofrimento será maior e mais profundo como nunca antes visto”. O foco da deslocação de Toby Lanzer foram os estados de Borno e Yobe.

Sofrimento

O representante fala de um cenário que pode ser mais complicado “para todos os envolvidos nas ações para aliviar o sofrimento das pessoas e estabilizar a situação”.

Faltam cerca de US$ 200 milhões dos doadores para uma “ação e resposta internacional mais intensas”. Lanzer disse que o valor pode ajudar a alimentar 431 mil pessoas e resolver a situação da desnutrição aguda grave de 50 mil menores.

Subsistência

O responsável destacou ainda “avanços notáveis” na segurança e no acesso da ajuda nos últimos meses, mas revelou que as milícias Boko Haram causam instabilidade e “ameaçam a vida e os meios de subsistência de milhões de pessoas”.

As Nações Unidas estimam que 90% dos nigerianos dependem da agricultura, da pesca e da pecuária.  Somente no nordeste 4,4 milhões de pessoas enfrentam insegurança alimentar severa devido à piora da segurança nos últimos três anos.

Leia Mais:

OIM faz apelo para crises na Bacia do Lago Chade e da Rep. Centro-Africana

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud