Primeiro-ministro do Timor-Leste espera crescimento do português no país
BR

30 junho 2016

Rui Maria de Araújo disse à Rádio ONU que seu governo tem atuado para reforçar o ensino do idioma na nação asiática; ao lado do tétum, português é língua oficial no Timor desde a restauração da independência em 2002.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Timor-Leste está intensificando esforços para disseminar a língua portuguesa no país a começar pelo ensino nas escolas, de forma sistemática.

De acordo com autoridades timorenses, no censo realizado em 2010, havia cerca de 20% da população que falava português no Timor. A língua que ao lado do tétum é oficial, no país do sudeste asiático, deixou de ser falada no dia a dia após a ocupação indonésia em 1975.

Escolas

Mas desde a restauração da independência do Timor-Leste em 2002, o português voltou a ser parte da realidade nas escolas e no serviço público. Nesta entrevista à Rádio ONU, o primeiro-ministro timorense, Rui Maria de Araújo, contou que seu governo está investindo no aumento da língua já nos próximos anos.

“Timor-Leste está a intensificar os passos concretos para que a disseminação do português seja mais efetiva no país. A partir dos dois últimos anos, por exemplo, criamos centro de aprendizagem e formação escolar em todos os 13 municípios de Timor-Leste. Na base da cooperação que temos com Portugal. Temos professores portugues a ensinar desde o 1º ano até o 12º ano.”

Censo

Segundo Rui Maria de Araújo, a parceria com Portugal tem sido fundamental para levar o idioma adiante. Ele também citou a presença de professores brasileiros no sistema de ensino. O dirigente timorense contou que no último censo, realizado em 2014, houve um aumento de pelo menos 5% no número de pessoas que falam o português, especialmente a geração com menos de 40 anos.

“Aquela geração que nasceu e cresceu durante a ocupação indonésia foi desprovida  desta oportunidade de poder aprender e utilizar

image
Crianças timorenses. Foto: Banco Mundial/João dos Santos

o português. E daí, este gap que existiu nas gerações timorenses, particularmente aqueles que nasceram e cresceram durante a ocupação, e daí o esforço de reintroduzir o português.”Rui Maria de Araújo afirmou que uma outra faixa da população na qual o governo tem investido com o ensino do português são os funcionários públicos, que têm que trabalhar no idioma oficial, aprovado pela Constituição timorense.

Cplp

“A nossa burocracia funciona 100% em português. Significa, os documentos, particularmente as leis, os documentos oficiais, são redigidos em português. Há alguma dificuldade também a nível de funcionários para entender o alcance e a extensão da língua. Mas temos cursos de formação com os funcionários públicos. Há sinais positivos neste sentido. Embora, vamos reconhecer que há muito o que fazer nesta área.”

O primeiro-ministro do Timor-Leste acredita que seu país pode ajudar a disseminar o português não só internamente, mas também utilizar a língua no processso de afirmação política internacional.

Rui Maria de Araújo lembrou que o Timor é um membro ativo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, e deve ocupar a presidência rotativa do bloco até novembro deste ano, quando passará o posto ao Brasil.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud