Ban diz em Israel que “violência nunca será a solução” para Oriente Médio
BR

27 junho 2016

Durante visita ao país, secretário-geral afirmou que esfaqueamentos, tiros e bombas fomentam medo e incertezas; ele disse que líderes palestinos e israelenses devem adotar medidas concretas para restaurar a esperança.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon afirmou que “a violência nunca será a solução” para o Oriente Médio.

Durante visita ao presidente de Israel, Reuven Rivlin, esta segunda-feira, Ban disse que “esfaqueamentos, tiroteios e ataques a bomba não vão atingir nada já que essas ações são destinadas a fomentar medo e incertezas”.

Confiança e Esperança

Ele citou como exemplo, o último atentado terrorista em Tel Aviv e enviou pêsames às famílias das vítimas. Para o chefe da ONU, esses ataques minam a confiança e a esperança e afastam ainda mais israelenses e palestinos.

Ban disse que deve “ficar claro que quase 50 anos de ocupação tiveram um impacto devastador na vida dos palestinos, minando a crença em uma resolução pacífica para o conflito e também não trouxe segurança para os israelenses”.

O secretário-geral pediu que os dois lados adotem medidas concretas para restaurar a esperança e um horizonte político para que israelenses e palestinos possam ver um caminho para a paz e não um “atoleiro de violência”.

Ban declarou que acredita firmemente que a solução de dois Estados independentes e com segurança continua sendo a única opção viável para evitar um conflito perpétuo e alcançar as legítimas aspirações dos dois povos.

Quarteto

O chefe da ONU disse que o Quarteto para o Oriente Médio, grupo formado pela ONU, pela União Europeia, pelos Estados Unidos e pela Rússia, está finalizando um relatório sobre a situação e os obstáculos à solução de dois Estados.

Ban declarou que assim que o documento for divulgado, israelenses e palestinos devem se empenhar em cumprir as recomendações e criar as condições para a retomada de negociações significativas.

Ele disse que conta com a coragem e liderança de Rivlin para adotar ações firmes que vão estabelecer uma paz duradoura, ampla e justa para os dois povos.

Mais cedo, na Universidade de Tel Aviv, Ban recebeu a medalha George S. Wise. Segundo ele, a condecoração simboliza “os objetivos comuns da ONU e da Universidade: progresso, prosperidade e paz”.

Leia Mais:

Após ataque em Tel Aviv, Ban diz que não existe justificativa para terrorismo

Ban afirma que "obstáculos à paz no Oriente Médio são claros"

Solução de dois Estados muito longe para palestinos e israelenses

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud