FAO e PMA alertam que insegurança alimentar é generalizada no Iêmen
BR

21 junho 2016

Comunicado conjunto das agências da ONU afirma que a situação deve piorar com a continuação dos confrontos; autoridades disseram que mais da metade da população iemenita está vivendo em situação de crise.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, e o Programa Mundial de Alimentos, PMA, alertaram que a insegurança alimentar é generalizada no Iêmen.

Em comunicado, as agências da ONU disseram que a situação atinge 19 das 22 províncias do país.

Crise

Segundo elas, a situação deve piorar se os confrontos continuarem. As autoridades afirmaram que mais da metade da população está vivendo em níveis de crise ou emergência.

Em algumas províncias, aproximadamente 70% das pessoas têm dificuldades para conseguir alimentos suficientes para seu sustento.

Pelo menos 7 milhões, 25% da população do Iêmen, vivem em condições de emergência, 15% a mais do que o registrado em junho 2015. Além disso, 7,1 milhões foram classificados em condições de crise..

O coordenador humanitário da ONU para o Iêmen, Jamie McGoldrick, afirmou que o resultado mostra claramente a gigantesca magnitude da crise humanitária no país.

Essenciais

Ele declarou que essa é uma das piores crises no mundo e que continua se agravando. Falta de combustível e restrições de importação reduziram a disponibilidade de commodities de alimentos essenciais no país, que importa 90% de sua comida.

Aproximadamente 3 milhões de crianças com menos de cinco anos e mulheres grávidas ou em fase de amamentação necessitam de serviços de saúde para tratar ou prevenir a desnutrição.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud