Ban afirma que “obstáculos à paz no Oriente Médio são claros”
BR

3 junho 2016

Secretário-geral da ONU disse que esses obstáculos incluem terrorismo, violência e incitamento; durante reunião Paris, chefe das Nações Unidas declarou que negociações exigem liderança de palestinos e israelenses.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon afirmou que “os obstáculos à paz no Oriente Médio são claros. Eles incluem terrorismo, violência, incitamento, além da questão dos assentamentos e de uma falta de união entre Gaza e Cisjordânia”.

Ban fez a declaração esta sexta-feira durante a reunião ministerial sobre o Processo de Paz do Oriente Médio, realizada em Paris e que contou com a participação de representantes de quase 30 países.

Incapacidade

O chefe da ONU disse que todos os presentes ao encontro estão “profundamente preocupados com a incapacidade de se resolver o conflito entre israelenses e palestinos depois de quase 50 anos de ocupação”.

Ban declarou que “todos concordam com a solução de dois Estados como a única opção viável para uma paz sustentável”.

Ele disse que “com o apoio da comunidade internacional, os líderes de Israel e da Palestina devem adotar sérios esforços para criar as condições que levem à retomada de negociações significativas”.

O secretário-geral afirmou que as atividades de assentamento são ilegais perante a lei internacional e Israel deve suspender a política de expansão, legalização e demolição de casas e outras estruturas palestinas.

Questões

Segundo Ban, essas ações geram questões legítimas sobre o compromisso do país em relação à solução de dois Estados e de suas obrigações como Potência Ocupante.

Ao mesmo tempo, o chefe da ONU declarou que a liderança palestina deve combater a violência e o incitamento, incluindo condenando claramente todos os atos de terrorismo.

Ban disse que é necessário também unir todos os palestinos sob um único, legítimo e democrático governo, que siga os princípios da OLP, Organização para a Libertação da Palestina.

Destino Comum

O secretário-geral afirmou que os dois lados devem assegurar que suas ações reflitam o compromisso para a criação de dois Estados e devem combater os extremistas que estão empenhados em prejudicar o processo de paz.

O chefe da ONU declarou que a comunidade internacional deve exercer sua influência para que israelenses e palestinos cheguem a um destino comum: o fim da ocupação que começou em 1947 e a criação de dois Estados vivendo lado a lado em segurança e com reconhecimento mútuo.

Ban anunciou que fará uma visita a Israel e a Palestina no fim do mês para dar continuidade às conversações mantidas em Paris, esta sexta-feira.

Leia Mais:

Gaza sofre com proibição à importação de cimento

Solução de dois Estados muito longe para palestinos e israelenses

Escritório de Direitos Humanos preocupado com assassinato na Cisjordânia

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud