Financiamento de US$ 175 milhões beneficia o Corno de África

2 junho 2016

Empréstimo do Banco Mundial servirá para comunidades a hospedar refugiados na região; ideia é mitigar o impacto causado nas cidades que abrigam deslocados; Etiópia, Uganda e Djibouti são os países beneficiados.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Banco Mundial aprovou esta semana um financiamento de US$ 175 milhões para ajudar a aliviar os impactos do deslocamento forçado no Corno de África. O dinheiro deve beneficiar comunidades a abrigar refugiados, em países como Etiópia, Uganda e Djibouti.

O presidente do órgão destacou que a atenção do mundo está voltada para a crise de refugiados do Médio Oriente, mas “é preciso fazer mais para ajudar as nações africanas a responder ao deslocamento forçado de milhões de pessoas”.

Três Países

Jim Yong Kim explicou que o “financiamento do Banco Mundial para países a a abrigar refugiados no Corno de África deve levar mais estabilidade à região e oportunidades económicas para as pessoas”.

A Etiópia reberá US$ 100 milhões. Outros US$ 50 milhões vão para Uganda e US$ 20 milhões para o Djibouti, com pouco ou nenhum juros. Os restantes US$ 5 milhões serão emprestados para a Autoridade Intergovernamental de Desenvolvimento, órgão formado por oito países do Corno de África.

Pobreza

A região abriga 242 milhões de habitantes e segundo o Banco Mundial, sofre com fraca governança, insegurança, degradação ambiental e pobreza. Os conflitos pioram a situação e o financiamento tem em vista ampliar o acesso da população a serviços sociais e melhorar a situação das comunidades a hospedar refugiados.

São 9,5 milhões de deslocados no Corno de África e cerca de 3 milhões de refugiados, de acordo com o Banco Mundial. Mulheres e crianças são a maioria e encontrar empregos é um desafio nesses países. A Etiópia, por exemplo, tem a maior população de refugiados no continente africano, a enfrentar extrema pobreza.

Leia e Oiça:

Acnur preocupado com fim de acolhimento de refugiados no Quénia

Número de refugiados moçambicanos sobe e Malaui deve reabrir campo

Etiópia: necessidades humanitárias tripilicaram desde o início de 2015 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud