ONU vê melhorias da qualidade do ar na América do Norte e Europa
BR

31 maio 2016

Ações coordenadas pela Convenção do Ar da Comissão Econômica para Europa, Unece, nos últimos 30 anos produziram resultados, diz órgão que pede a continuação das medidas.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A qualidade do ar melhorou na América do Norte e na Europa nas últimas três décadas. A constatação é da Convenção do Ar da Unece, a Comissão Econômica para a Europa, uma entidade das Nações Unidas.

De acordo com a Comissão, as melhorias foram resultado de cooperação e ações coordenadas nos últimos 30 anos para combater a poluição. Os dados fazem parte do relatório “Em Direção ao um Ar mais Puro”, lançado em Bruxelas, Bélgica, nesta terça-feira.

Mortes prematuras

Com isso, a expectativa de vida aumentou em um ano e centenas de milhares de mortes prematuras, todos os anos, foram evitadas.

A média nacional de concentrações de partículas PM 2.5, por ano, caiu 33% entre 2000 e 2012 nos Estados Unidos e em 4% no Canadá.

O relatório também revela que o custo anual à saúde humana da poluição do ar, sem considerar plantações e o setor de construção, é de 1,1 trilhão de euros e de US$ 1 trilhão para os Estados Unidos.

Nos países da Unece, as perdas representam mais de 10% do Produto Interno Bruto.

Peixes

Para a Unece, os números são provas de que as medidas deram certo. Um outro benefício foi a redução, na maior parte da Europa, de acidificação do solo, e a recuperação de estoques de peixes em água doce, de onde eles haviam desaparecido em grandes quantidades.

Mas para a Comissão Econômica, estes ganhos, ainda que positivos, não são suficiente, pois a poluição do ar continua sendo a primeira causa ambiental de morte prematura na Europa. O problema ocorre por causa dos altos níveis de concentração de partículas finas e do nível de ozônio. Isso ameaça o ecossistema e a biodiversidade devido à contaminação de nitrogênio.

O relatório compilado sob a Convenção da Unece revela que os governos da região precisam continuar com os esforços e medidas para melhorar a qualidade do ar.

Economia

A presidente do Conselho Executivo da Convenção do Ar da Unece, Anna Engleryd, afirmou que a cooperação internacional é fundamental para reduzir os impactos negativos à saúde humana, aos ecossistemas e à economia.

Ela lembrou que os países precisam concordar em ações específicas para eliminar, por exemplo, as emissões de amônia que são geradas pela agricultura. Uma outra ação é a introdução de dietas baixas em carnes.

Já o secretário-executivo da Unece, Christian Friis Bach, afirmou que o relatório prova que as medidas dão resultado e que as soluções estão ao alcance de todos.

Ele pediu aos governos que comecem a tomar providências já na próxima semana, durante a Conferência de Ministros do Meio Ambiente da Europa, que será realizada na Geórgia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud