Bissau vive calma relativa após posse do novo chefe do governo

27 maio 2016

Distúrbios na capital guineense seguiram-se à nova nomeação de Baciro Djá para chefiar executivo; medida ocorreu enquanto decorriam contactos entre enviado especial da ONU com vários setores da sociedade da Guiné-Bissau.

Amatijane Candé, da Rádio ONU em Bissau.

Bissau vive momentos de relativa calma após confrontos entre apoiantes do Paigc e os 15 deputados expulsos do que é o maior partido guineense, um dos quais o novo primeiro-ministro Baciro Djá.

O chefe do executivo da Guiné-Bissau tomou posse no princípio da tarde de sexta-feira.

Novo Representante

Os distúrbios iniciaram na quinta-feira. após a nomeação do chefe do governo enquanto decorriam contactos entre o novo representante especial do secretário-geral da ONU, Modibo Toure, com entidades guineenses.

Toure manteve os encontros com religiosos do país e representantes da sociedade civil depois de ter-se reunido com as autoridades nacionais.

Feridos

Os confrontos que foram reprimidos pelas forças de ordem saldaram-se em seis feridos, entre os quais dois deputados do partido Paigc.

A nova nomeação de Baciro Djá pelo presidente José Mário Vaz foi para substituir Carlos Correia, o chefe do governo demitido há duas semanas.

Palácio

Os membros do antigo executivo continuam barricados no Palácio do Governo, de onde prometem sair só se o presidente reconsiderar a sua posição.

Pouco depois, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, manifestou profunda preocupação com a situação política do país.

Leia e Oiça:

ONU profundamente preocupada com situação na Guiné-Bissau

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud