Unodc ajuda a equipar locais para combater o crime na Guiné-Bissau

25 maio 2016

Áreas de Tombali e Bolama são conhecidas pelas fronteiras vulneráveis e pelo potencial de crimes em mais de 80 ilhas; detidos supostos terroristas detidos que passaram pelo país.

Amatijane Candé, da Rádio ONU em Bissau.

A polícia judiciária da Guiné-Bissau vai dispor em breve de dois edifícios equipados e autónomos para combater as altas taxas de criminalidade nas regiões de Tombali, no sul, e no arquipélago de Bolama.

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, anunciou que vai executar o projeto com fundos da União Europeia. A ideia é descentralizar os serviços da Polícia Judiciária guineense.

Tráfico de Drogas

A informação foi avançada à Rádio ONU, em Bissau, pelo coordenador dos Projetos da Unodc. Mário Maia Moreira disse que o apoio deve-se às fronteiras vulneráveis e à existência de 88 ilhas no arquipélago do país, que podem ser exploradas para atividades ilícitas.

A agência da ONU pretende prevenir o crime transnacional e particularmente o tráfico de drogas.

Aeroporto

“O oeste africano é particularmente afetado enquanto plataforma de trânsito de drogas. A Guiné-Bissau, pela sua localização geográfica, é favorável a funcionar como parte desta plataforma. Há apreensões de estupefacientes que são realizadas no aeroporto da Guiné-Bissau.”

Terrorismo

Moreira disse que recentemente foram presos supostos terroristas pela Unidade de Combate ao Crime Transnacional e pela Policia Judiciária na vizinha Guiné Conacri.

O coordenador afirmou que os detidos teriam passado pela Guiné-Bissau, onde ocorre o tráfico humano. O responsável destacou ações realizadas em colaboração com o Senegal.

Tráfico de Crianças

“As crianças são traficadas com o pretexto de que irão receber uma educação corânica e acabam por ser exploradas na mendicidade. Realizamos um workshop regional com o Senegal sobre o fenómeno por forma a melhor coordenarmos as ações conjuntas entre os dois países.”

O Unodc remodelou e equipou a brigada de tráfico humano da Polícia Judiciária guineense.

O gabinete trabalha atualmente no aeroporto de Bissau para executar o projeto “Aircop”. A iniciativa, que envolve mais de 20 aeroportos do mundo, pretende permitir a comunicação entre o tipo de instalações.

Leia e Oiça:

Guiné-Bissau: técnicos formam-se para baixar mortalidade maternoinfantil

Comissão de Consolidação da Paz da ONU quer fim da crise na Guiné-Bissau

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud