Banco Mundial lança financiamento para combater pandemias
BR

23 maio 2016

Sistema tem como objetivo proteger os países mais pobres do mundo; custo da epidemia de ebola nos três países mais atingidos na África chegou a US$ 2,8 bilhões; Japão prometeu doar US$ 50 milhões para a iniciativa.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Banco Mundial anunciou a criação de um Mecanismo de Financiamento de Emergência contra Pandemias. A iniciativa visa proteger os países mais pobres do mundo contra pandemias.

Segundo a instituição, o Mecanismo agilizará a distribuição do dinheiro, que está sendo visto como o “primeiro seguro” para combater o risco de pandemia.

Maiores Ameaças

O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, afirmou que “as pandemias representam uma das maiores ameaças do mundo à vida das pessoas e às economias”.

Yong Kim disse que “pela primeira vez o mundo vai ter um sistema que poderá mover recursos financeiros e equipes de especialistas para os locais de epidemia antes que a situação saia fora de controle”.

Segundo ele, “essa iniciativa lida com um longo fracasso coletivo em combater pandemias”.

O chefe do Banco Mundial disse que “a crise de ebola na Guiné, Libéria e Serra Leoa ensinou que todos devem ser muito mais vigilantes para os surtos de doenças e responder imediatamente para salvar vidas e proteger o crescimento econômico”.

OMS

A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, afirmou que “nos últimos anos têm se visto um ressurgimento drástico das ameaças de doenças infecciosas emergentes e reemergentes”.

Segundo Chan, a OMS apoia completamente a iniciativa de financiamento como uma contribuição fundamental para a segurança de saúde global e como uma linha de defesa crucial contra a ameaça de vírus e outros ameaças.

O mecanismo vai proporcionar uma cobertura de até US$ 500 milhões, o equivalente a R$ 1,7 bilhão, por um período inicial de três anos para surtos e doenças infecciosas, geralmente causadas por epidemias.

Ebola

As últimas análises econômicas sugerem que os custos globais anuais para se combater pandemias moderadamente severas ou severas chega a US$ 570 bilhões, ou aproximadamente 0,7% do Produto Interno Bruto global.

Uma pandemia muito severa, como por exemplo a gripe espanhola de 1918, poderia custar até 5% do PIB mundial, quase US$ 4 trilhões.

A crise de ebola na África custou aproximadamente US$ 2,8 bilhões aos três países mais atingidos na região. As perdas econômicas atingiram US$ 1,9 bilhão em Serra Leoa, US$ 600 milhões na Guiné e US$ 300 milhões na Libéria.

G7

O Japão, que ocupa a presidência do G7 atualmente, prometeu doar US$ 50 milhões para o novo mecanismo de financiamento.

O anúncio foi feito poucos dias antes do início da reunião do grupo na cidade japonesa de Ise-Shima, na quinta-feira.

Os líderes do G7 pediram à instituição que desenvolvesse a iniciativa durante a reunião realizada em maio de 2015, na Alemanha.

Leia Mais:

Ebola: US$ 7,2 bilhões necessários para recuperação da África Ocidental

Relatório afirma que OMS fracassou em conter epidemia de ebola

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud