ONU e parceiros lançam fundo de educação global em evento na Turquia
BR

23 maio 2016

Iniciativa foi anunciada na Conferência Humanitária Mundial, em Istambul; objetivo é arrecadar US$ 3,8 bilhões para ajudar 13,6 milhões de crianças e jovens em países afetados por emergências ou crises.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A ONU e suas agências e parceiros lançaram esta segunda-feira um fundo especial de educação global para ajudar crianças e jovens em países atingidos por emergências ou crises prolongadas.

A iniciativa “Educação Não Pode Esperar - um fundo para educação em emergências” foi anunciada durante a Conferência Humanitária Mundial, que está sendo realizada em Istambul, na Turquia.

Conhecimento

O diretor-executivo do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, Anthony Lake, disse que sem educação, os jovens não terão como adquirir conhecimento e habilidades para comandar seus próprios futuros.

Outro ponto citado por Lake é sobre a condição dessas crianças e jovens de não terem como ajudar na criação de sociedades pacíficas e estáveis no futuro, sem estudo.

A agência da ONU disse que os sistemas de educação em todo o mundo estão sendo destruídos por conflitos armados, desastres naturais e emergências de saúde.

Isso “tira das crianças as habilidades que elas necessitam para construir economias e comunidades sólidas e seguras quando atingirem a fase adulta”.

US$ 3,8 bilhões

O objetivo é arrecadar US$ 3,8 bilhões, o equivalente a R$ 13,5 bilhões, pelos próximos cinco anos para ajudar mais de 13,6 milhões de crianças e jovens que vivem em situações de crise, como conflito, desastres naturais e epidemias.

Segundo o Unicef, atualmente, uma em cada quatro crianças em idade escolar, quase 500 milhões, vive em países afetados por crises.

Aproximadamente 75 milhões de crianças e jovens estão fora das salas de aula, recebem uma educação de baixa qualidade ou correm o risco de abandonar os estudos.

Ajuda Humanitária

Segundo a ONU, em média, menos de 2% da ajuda humanitária é destinada à educação.

O enviado das Nações Unidas para Educação Global, Gordon Brown, afirmou que a comunidade internacional deve agir urgentemente.

Brown disse que “a situação está se transformando numa crise global de grandes proporções que vai assombrar o mundo por várias gerações”.

Além do Unicef, participam da iniciativa outras agências da ONU como a Unesco, o Acnur e o enviado especial para Educação Global, como também os governos do Canadá, Estados Unidos, Holanda, Noruega e Reino Unido.

Leia Mais:

Crianças refugiadas têm mais chances de ficarem fora das escolas

Campanha do Unicef destaca educação para crianças em emergências

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud