Cepal começa sessões no México pedindo estilo de desenvolvimento distinto
BR

23 maio 2016

Secretária-executiva da Comissão Econômica para América Latina e Caribe, Cepal, Alicia Bárcena disse à Rádio ONU que os governos têm de ser mais abertos; agência quer ainda uma estratégia clara para a agroindústria.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Comissão Econômica para América Latina e Caribe, Cepal, inaugurou na Cidade do México o 36º período de suas sessões pedindo uma mudança de paradigma sobre o desenvolvimento da região.

O evento conta com a participação do presidente mexicano Enrique Peña Nieto e com uma mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que se encontra na Turquia para a Conferencia Humanitária Mundial.

Agenda 2030

Em entrevista exclusiva ao Centro de Informação da ONU no México, a secretária-executiva da Cepal, Alicia Bárcena, disse que a implementação da Agenda 2030 é vital para fazer avançar os países latino-americanos e caribenhos.

Bárcena afirmou que o ponto de partida é difícil, pois os países da região estão num momento de desaceleração do comércio, do crescimento e de reversão dos ganhos que foram feitos nos últimos 20 anos. Ela falou da expectativa de crescimento negativo de 0,6%.

Meio ambiente

A líder da agência alertou que o estilo do desenvolvimento atual não é sustentável. É preciso combater os níveis de desigualdade e de deterioração do meio ambiente.

A chefe da Cepal afirmou ainda que existe uma espécie de encruzilhada, por ser um tempo de mudanças. Para Alicia Bárcena as reformas têm de ser feitas também na área trabalhista, e  lembrou que o continente está envelhecendo e crescendo menos que outras regiões do mundo.

As sessões da Cepal, que terminam em 25 de maio, reúnem ministros do Desenvolvimento Social e da Economia de vários países latino-americanos e caribenhos.

Ao ser perguntada sobre o combate à pobreza no subcontinente, Alicia Bárcena recomendou reformas fiscais para aumentar os ingressos e as rendas em cada país.

Educação

Bárcena lembrou que a política pública em matéria de redistribuição da renda é um dos pilares neste processo de mudança, além de alinhar os gastos públicos com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Para ela, o instrumento fundamental são reformas fiscais, com pagamento de impostos por quem ganha mais, e a incorporação destas medidas nos planos nacionais de desenvolvimento.

A secretária-executiva também falou da necessidade de melhorias no setor da educação e um pacto para os investimentos. Segundo ela, esta é a ponte para o médio e longo prazos nos projetos de desenvolvimento.

Alicia Bárcena terminou a entrevista dizendo que a Cepal está promovendo um grande impulso na área de teconologia, para que o mundo possa ir da energia fóssil à energia renovável. Ela sugeriu ainda uma indústria de construção baixa em carbono e cliente da energia solar, além da promoção de certos ecossistemas estratégicos.

Segundo a Cepal, um outro setor chave é a agroindústria, pois a alimentação será o setor do futuro.

Assista ao vídeo.

*Com reportagem de CINU México www.cinu.mx

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud