ONU inaugura na Turquia 1ª. Conferência Humanitária Mundial da história
BR

23 maio 2016

Encontro reúne líderes mundiais entre 23 e 24 de maio em Istambul; crises afetam 37 países e 125 milhões de pessoas precisam de assistência;em entrevista à Rádio ONU, diretor para setor privado do Pnud defendeu integração do sistema humanitário com processos de desenvolvimento.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O mundo é testemunha atualmente dos maiores níveis de sofrimento e deslocamento humanos desde a Segunda Guerra Mundial.

Por isso, pela primeira vez nos 70 anos de historia das Nações Unidas, o secretário-geral da organização, Ban Ki-moon, decidiu organizar a Conferência Humanitária Mundial, aberta nesta segunda-feira, em Istambul, na Turquia.

Expectativa

A conferência vai reunir líderes mundiais para tomar medidas com objetivo de prevenir e reduzir o sofrimento humano.

De Istambul, o diretor para o setor privado e filantropia do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, Marcos Athias Neto, falou à Rádio ONU sobre sua expectativa para a Conferência.

“Eu acho que a grande contribuição da conferência é trazer 6 mil pessoas juntas de todos os setores da sociedade para começar um debate. Essa conferência não foi criada para produzir um acordo internacional. Ela foi criada de uma maneira orgânica incluindo todos os setores, sociedade civil, empresas, filantropia, ONU, governos para que se possa começar a rever o sistema mundial humanitário.”

Desenvolvimento

Para Marcos Athias Neto, o sistema atual “precisa aproximar a ajuda humanitária dos processos de desenvolvimento de longo prazo”.

“A média de tempo que uma pessoa fica como refugiado são 17 anos. Em 17 anos, você não precisa só de ajuda humanitária, você precisa de desenvolvimento. Uma das grandes discussões mais importantes da conferência é esse processo de buscar uma relação nova entre ajuda humanitária e desenvolvimento que mantenha o respeito aos princípios humanitários, os princípios essenciais de salvar vidas durante emergências, mas possa aproximar os processos de curto prazo com os processos de longo prazo de desenvolvimento.”

A primeira Conferência Humanitária Mundial é vista como um "pedido de ação" do secretário-geral a governos e doadores, em prol de 125 milhões de pessoas no mundo que precisam de assistência.

Para Ban, o evento servirá para que seja "reafirmado o compromisso com a humanidade e traçar um caminho para a mudança".

Acesse página especial da Rádio ONU sobre a Conferência.

Leia e Ouça:

"Humanidade é a única escolha" da comunidade internacional

Unicef: 25% das crianças em idade escolar vivem em países afetados por crises

Líderes mundiais devem mostrar mais solidariedade com refugiados

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud