Conselho de Segurança discute combate a ideologias do terrorismo
BR

11 maio 2016

Vice-secretário-geral da ONU afirmou que os grupos terroristas estão explorando crenças religiosas para incitar ódio e violência; Jan Eliasson disse que os ataques a bomba têm como alvo os valores comuns da humanidade.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança debateu esta quarta-feira formas de combate às narrativas e ideologias do terrorismo.

O vice-secretário-geral da ONU, Jan Eliasson, disse que o órgão “está muito consciente da mistura volátil entre conflitos prolongados, terrorismo e extremismo violento no mundo atual”.

Ódio e Violência

Eliasson afirmou que “os grupos terroristas estão explorando crenças religiosas para incitar ódio e violência e causar divisões e polarizações nas sociedades”.

Segundo o vice-chefe da ONU, “os ataques a bomba têm como objetivo destruir muito mais do que vidas, eles têm como alvo os valores comuns e querem espalhar o medo”.

Jan Eliasson declarou que a comunidade internacional tem a responsabilidade de proteger as pessoas de qualquer tipo de dano e a erosão dos valores universais.

Jovens

O vice-secretário-geral disse que “há uma preocupação legítima com os jovens que estão se tornando presas dos discursos e ideologias terroristas”.

Eliasson afirmou que “os jovens talvez estejam mais vulneráveis à sedução terrorista, que oferece a eles um sentimento de pertencer a um grupo, um salário e a promessa de glória”.

O representante da ONU declarou que as promessas são totalmente falsas. Ele disse que o “mundo deve fazer mais do que repetir a declaração sobre os jovens de que eles são “os líderes do futuro”.

Para Eliasson, “é necessário investir nos jovens hoje, com recursos materiais e empoderamento político”. Ele explicou que “a comunidade internacional não deve trabalhar para os jovens e sim com os jovens”.

Soluções

Para o vice-chefe da ONU, o jovem deve ser visto não como parte do problema, o mundo deve aproveitar o potencial do grupo para criar soluções.

Ele disse ainda que os jovens atualmente têm alta capacidade de comunicação e muita participação nas redes sociais.

Eliasson explicou que se a ideia é combater o discurso terrorista, é preciso motivar e mobilizar a geração de jovens no sentido de ampliar a mensagem de humanidade comum.

Segundo o representante da ONU, “os jovens estão sedentos por ideias visionárias”. Boa governança, respeito aos direitos humanos e Estado de direito devem ser a parte central de qualquer “visão inspiradora”.

Leia Mais:

Assembleia Geral abriga debate sobre ameaças à paz e segurança mundiais

Combate ao extremismo: Ban volta a alertar sobre perigo de estereótipos

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud