Perspectiva Global Reportagens Humanas

“2015 foi o ano da virada para agenda ambiental” BR

Achim Steiner. Foto: Pnuma

“2015 foi o ano da virada para agenda ambiental”

Relatório do Pnuma mostrou que comunidade internacional definiu metas essenciais com adoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e com Acordo de Paris.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Um novo relatório lançado esta segunda-feira pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, mostra grandes avanços conquistados em relação ao desenvolvimento sustentável.

O diretor-executivo da agência da ONU, Achim Steiner, afirmou que “2015 será lembrado como a ano da virada para a agenda ambiental”.

União

Segundo ele, “a comunidade internacional definiu metas essenciais com a adoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS, e do Acordo de Paris”.

Para ele, “essa foi uma demonstração de união de propósitos que coloca o mundo de forma mais concreta no caminho de um futuro sustentável”.

O relatório anual 2015 revela importantes contribuições do Pnuma para ajudar as nações no desenvolvimento de suas promessas de cortes de emissões. Além disso, a agência da ONU mobilizou bilhões de dólares em apoio à Iniciativa de Energia Renovável da África.

A iniciativa vai fornecer energia limpa a milhões de pessoas por todo o continente, reduzir as emissões de gases que causam o efeito estufa e diminuir a poluição do ar, que causa a morte de milhares todos os anos.

Energia, Clima e Saúde

Segundo o Pnuma, essas três metas sobre acesso à energia, clima e saúde são exatamente o tipo de resultado necessário para que o mundo possa alcançar a Agenda 2030.

A agência da ONU afirmou que o “financiamento é parte central” de todas as aspirações do setor.

Por exemplo, no portfólio da Coalizão de Descarbonização, comandada pelo Pnuma e parceiros, mais de 20 investidores institucionais tinham prometido, até dezembro do ano passado, disponibilizar mais de US$ 600 bilhões para o processo de descarbonização.

Projetos da agência da ONU, como o ProEcoServ, continuam demonstrando que o reconhecimento global dos benefícios econômicos dos ecossistemas é fundamental para a criação de economias verdes e para retirar milhões de pessoas da pobreza.

Até agora, o ProEcoServ identificou mais de US$ 1 bilhão em benefícios econômicos em apenas quatro países: Vietnã, Trinidad e Tobago, África do Sul e Chile.

Vida

O relatório tem como foco também mostrar como o Pnuma ajuda a melhorar a vida da população.

Segundo os especialistas, é possível alcançar um desenvolvimento sustentável e combater a mudança climática através de soluções que levem a uma economia verde inclusiva.

Para isso, a agência cita que é necessário aumentar o fornecimento de energia renovável e aplicar medidas eficazes para o setor, assim como conservar e expandir as áreas de florestas.

Leia Mais:

Líderes pedem que preço do carbono cubra 50% das emissões globais

Pnuma quer fazer chegar mais energia a partir de resíduos em África

Aparelhos eficientes podem reduzir contas de luz em US$ 350 bi ao ano