Bombardeios na Síria são “desrespeito monstruoso com os civis”
BR

29 abril 2016

Avaliação é do chefe de Direitos Humanos da ONU, que pede ação urgente em prol da população do país; Zeid Al Hussein condena ataque em Alepo que matou último pediatra da cidade e bombardeios em mercado em Idleb.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O chefe de Direitos Humanos da ONU declarou nesta sexta-feira que os últimos ataques na Síria revelam  que todos os lados em conflito estão mostrando“um desrespeito monstruoso pela vida dos civis”.

Zeid Al Hussein cita relatos vindos de Alepo, Homs, Damasco, Idleb e Deir ez-Zour. Ele condena o ataque aéreo das forças pró-governo ocorrido esta semana em Alepo, numa área controlada pela oposição.

Pediatra

Um hospital essencial foi destruído e 14 pessoas morreram, incluindo o último pediatra da área. O hospital era apoiado pela ONG Médicos Sem Fronteiras.  Já na área de Alepo controlada pelo governo, outro hospital foi bombardeado e civis foram mortos em ataques nas vizinhança.

Na semana passada, em Idleb, foram jogadas bombas em um mercado de vegetais, numa das áreas mais movimentadas da cidade. Pelo menos 44 pessoas morreram.

Falha

Na cidade de Kafr Nabel, bombardeios também em um mercado quase atingiram um centro para estudantes, sendo que 50 crianças estavam no local. O alto comissário avalia que a violência na Síria retornou aos mesmos níveis de antes do acordo de pausa nas hostilidades.

Zeid afirma que as ações recentes indicam enorme falha na proteção dos civis e sugere que os ataques podem ser crimes de guerra.

O representante da ONU também está muito preocupado com “relatos de ações militares que indicam preparação para uma escalada letal” da violência.

Risco de Fome

Milhares de civis na Síria continuam sitiados em várias cidades, sem acesso a cuidados médicos e correndo o risco de passar fome. Zeid lembra também dos civis em áreas ocupadas pelo Isil, já que é muito mais difícil conseguir informações sobre esses locais.

O alto comissário para os Direitos Humanos pede ação urgente para proteger os civis e menciona a persistente “falha do Conselho de Segurança de enviar o caso da Síria para ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional”. Segundo Zeid, essa falha é “um exemplo da forma mais vergonhosa de pragmatismo político”.

Saúde

Ele tem esperança com as conversações de Genebra, e para Zeid, se o processo for abandonado, muito mais horror poderá ocorrer na Síria.

Os ataques recentes na Síria também foram condenados pelo diretor do Unicef e pela diretora da Organização Mundial da Saúde, OMS. Anthony Lake e Margaret Chan estão “ultrajados com a frequência alarmante de ataques contra centros de saúde na Síria”.

Há alguns dias, um morteiro matou um ginecologista que voltava para casa, após cuidar de pacientes em uma clínica apoiada pelo Unicef em Alepo. Os direitores das agências lembram que os trabalhadores de saúde sírios merecem maior proteção.

Leia e Ouça:

Salvação para milhões de sírios está em jogo, afirma coordenador humanitário

Violência aumenta na Síria, com uma morte a cada 25 minutos

Missão da Unesco revela destruição de templos sírios com quase 2 mil anos

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud