OMS lança estratégia global para acabar com a hanseníase BR

Pacientes com hanseníase. Foto: Unicef/Sanjay Acharya

OMS lança estratégia global para acabar com a hanseníase

Meta é eliminar a doença até 2020; Brasil, Índia e Indonésia registraram mais de 80% dos 213 mil casos de 2014.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou uma estratégia global para acabar com a hanseníase.

A agência da ONU quer que os países assumam compromissos mais fortes e acelerem os esforços para pôr um fim à transmissão, assim como à discriminação e ao estigma da doença.

Zero Diagnóstico

Até 2020, o objetivo é reduzir a zero o número de crianças diagnosticadas com lepra e outras deformidades físicas associadas ao problema e diminuir o ritmo de novos diagnósticos para menos de um para cada um milhão de pessoas.

Segundo a OMS, foram registrados mais de 213 mil casos de hanseníase em 2014. Aproximadamente 94% desse total foram detectados em apenas 13 países e o Brasil é um deles.

Os dados da agência da ONU mostram ainda que Brasil, Índia e Indonésia juntos, são responsáveis por 81% dos casos da doença em todo o mundo.

Desafios

A OMS cita que a lepra foi considerada eliminada globalmente no ano 2000 com a prevalência caindo, na época, para menos de um caso para cada 10 mil habitantes.

As autoridades disseram que os maiores desafios contra o controle da doença continuam sendo a demora na detecção de novos casos e a persistente discriminação contra as pessoas que contraíram hanseníase.

O diretor da OMS para o sudeste da Ásia, Poonam Singh, afirmou que a nova estratégia global é guiada pelos princípios de ação, de prestação de contas e da promoção da inclusão.

Leia Mais:

Resistência do gado a antibióticos pode ser transmitida para os humanos

OMS recomenda vacina contra a dengue em países de alto risco