Unicef em “corrida contra o tempo” para proteger crianças do Equador
BR

19 abril 2016

País teve o pior terremoto desde 1979, destruindo pelo menos 119 escolas e 805 prédios; agência da ONU fala em 150 mil crianças afetadas; problemas de água e saneamento podem prejudicar combate à zika, dengue e malária.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

Pelo menos 150 mil crianças foram afetadas pelo terremoto no Equador, de acordo com balanço inicial do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef. O representante da agência no país, Grant Leaity, afirma que a equipe “está numa corrida contra o tempo para proteger as crianças de doenças e de outros riscos”.

Dados do governo apontam para danos em 119 escolas, afetando 88 mil alunos. Pelo menos 805 prédios foram destruídos pelo terremoto e outros 608 foram danificados. Em Portoviejo e Chone, houve colapso total de dois hospitais.

Zika

Deslizamentos de terra estão causando danos à infraestrutura das áreas mais afetadas e algumas cidades ainda estão sem luz. O Unicef também está preocupado com as condições de água e de saneamento no Equador, especialmente devido aos casos de zika, dengue, malária e chikungunya.

O terremoto de 7.8 graus na escala Richter atingiu o norte na noite de sábado, sendo o tremor mais forte no país desde 1979. As últimas informações indicam 366 mortes, mais de 2,6 mil feridos e 231 pessoas continuam desaparecidas.

Itens de Ajuda

O Escritório da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, revela que 640 civis estão em 14 abrigos montados pelas autoridades. Foram enviados para as áreas afetadas 2,5 mil policiais, helicópteros e patrulhas para resgatar pessoas que continuam isoladas.

O Ocha enviou uma equipe para apoiar as operações no Equador e mais funcionários seguem para o país. O próprio chefe do escritório, Stephen O’Brien, deve chegar esta terça-feira para ver de perto os impactos, conversar com autoridades e mobilizar doações para as operações de ajuda.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, fará um lançamento aéreo com 900 tendas, 15 mil colchonetes, kits de cozinha e 18 mil latas de repelente para que a população evite ser picada pelo mosquito que causa zika.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud