ONU quer usar mergulho para proteger biodiversidade marinha
BR

16 abril 2016

Pnuma lançou um guia sobre como a prática de “scuba diving” ou mergulho recreativo pode ajudar a proteger os recifes de corais; iniciativa Green Fins vai ajudar pequenas e médias empresas do setor na proteção ambiental.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, lançou, este sábado, o guia chamado “Green Fins” que tem o objetivo de ajudar a proteger a biodiversidade marinha no sul e sudeste da Ásia.

O projeto mostra como o mergulho recreativo pode proteger os recifes de corais ameaçados pelo crescimento do turismo nos litorais e também a apoiar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Parceria

O Green Fins foi desenvolvido por uma parceria público-privada e que contou com a contribuição da indústria do setor, comunidades e governos asiáticos.

A iniciativa inclui um vídeo de dois minutos sobre os oceanos produzido pelo Pnuma e pelo cartunista Jim Toomey.

A crescente popularidade e acesso ao mergulho estão levando cada vez mais pessoas aos recifes de corais. A indústria registra mais de 1 milhão de novos praticantes da modalidade todos os anos, o que coloca uma pressão a mais sobre a delicada biodiversidade local.

Segundo o Pnuma, apesar de impulsionar a economia da região, a prática intensa do mergulho pode causar danos diretos aos recifes de corais.

Liderança

A diretora do escritório da agência da ONU na Ásia, Isabelle Louis, disse que o guia vai ajudar as pequenas e médias empresas do setor a mostrarem liderança no processo de conservação.

Além disso, Louis afirmou essa é uma chance de “transformar um risco ambiental em oportunidade, assegurando a sustentabilidade da indústria que protege os ecossistemas marinhos, cria meios de subsistência de longo prazo e contribui com a implementação da Agenda 2030.

A iniciativa Green Fins, estabelecida inicialmente na Tailândia em 2004, está em andamento em seis países da Ásia e agora está sendo levada a outras regiões.

Leia Mais:

ONU lança campanha "Árvores pela Terra" para celebrar acordo do clima

Aparelhos eficientes podem reduzir contas de luz em US$ 350 bi ao ano

Metade da população mundial poderá ter dificuldades para obter água em 2030

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud