PMA precisa de US$ 100 milhões para resposta à seca na América Central
BR

8 abril 2016

Agência da ONU pretende prestar assistência a 1,6 milhão de pessoas em Guatemala, Honduras, El Salvador e Haiti até agosto; diretora da agência afirma que PMA está “comprometido a construir um mundo com Fome Zero”.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.*

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, precisa de US$ 100 milhões para ajudar 1,6 milhão de pessoas atingidas pela seca, agravada pelo El Niño, em Guatemala, Honduras, El Salvador e Haiti.

O fenômeno climático é um dos mais fortes dos últimos 50 anos. A assistência também busca construir resiliência contra futuros choques climáticos.

Resiliência

A chefe do PMA, Ertharin Cousin, afirmou que a agência planeja aumentar até agosto a ajuda às pessoas mais vulneráveis dos quatro países.

Ao mesmo tempo, ela afirmou que, trabalhando com os governos, a agência está colocando a resiliência no “coração” de sua resposta de longo prazo.

Na Guatemala, Cousin destacou que é preciso trabalhar para que “pessoas vulneráveis não sejam repetidamente empurradas para a fome e possam construir ativos duradouros que sobrevivam a possíveis desastres”.

Fome Zero

Ela disse ainda que, de forma geral, o PMA está “comprometido a construir um mundo com Fome Zero”.

Pessoas atingidas pela seca se beneficiam de programas que entregam dinheiro, cupons e transferências móveis em El Salvador e Guatemala enquanto, simultaneamente, apoiam as economias locais.

Além disso, a agência e seus parceiros fornecem treinamento nutricional e apoiam ações para reflorestamento, irrigação e jardins comunitários.

Insegurança Alimentar

De acordo com avaliação do PMA e governos, mais de 2 milhões de pessoas na Guatemala, El Salvador e Honduras sofrem com a insegurança alimentar.

A pedido das autoridades, a agência forneceu assistência alimentar em 2014 e 2015 a mais de 1,2 milhão de pessoas nos três países.

Haiti

Na próxima semana, Ertharin Cousin vai visitar o Haiti para se reunir com comunidades vulneráveis afetadas pelo impacto do El Niño.

Cerca de 3,6 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar no país após três anos de grave seca.

Inicialmente, o PMA distribuiu comida para um período de dois meses a 120 meses. Agora, a agência planeja lançar uma operação de emergência para ajudar 1 milhão de pessoas, principalmente por transferências em dinheiro.

Também estão planejadas ações para evitar o aumento da desnutrição grave.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud