ONU quer investigação de mortes em centro de detenção na Líbia

6 abril 2016

Tiros mataram quatro migrantes da África Subsariana; 20 pessoas ficaram feridas no local que acolhe pessoas que teriam cometido infrações; operação de paz fala de condições deploráveis de migrantes, candidatos a asilo e refugiados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas pediram esta quarta-feira que seja investigada, de forma "independente, imparcial e completa", a morte de quatro migrantes da África Subsariana num centro de detenção da Líbia.

De acordo com a Missão das Nações Unidas na Líbia, Unsmil, eles foram mortos durante uma possivel tentativa de fuga do local, ocorrida a 1 de abril. No incidente, um guarda e outros 20 migrantes foram feridos por balas.

As vítimas estavam detidas em Al-Nasr, na cidade de al-Zawiya, que acolhe migrantes intercetados ou salvos no mar, além de pessoas acusadas de invadir casas ou detidas em controlo de identidade.

Recuperação

Em nota, o representante especial adjunto do secretário-geral na Líbia, Ali Al-Za’tari, expressou o seu profundo pesar e desejou uma rápida recuperação aos feridos.

O país tem milhares de migrantes e refugiados detidos por infrações relacionadas com a migração. A Unsmil menciona relatos de condições desumanas no centro de detenção, que tem cerca de 1,2 mil pessoas, sendo na sua maioria subsarianos. Entre eles estariam oito mulheres e duas crianças.

O local é marcado pela “grave superlotação e também pela falta de alimentos e de outras necessidades básicas”, que incluem o acesso a cuidados médicos.

Condições Deploráveis

Al-Za'tari saudou o facto de as autoridades de al-Zaiwiya terem aberto uma investigação sobre o incidente e questionado várias testemunhas.

Mas o também vice-chefe da Unsmil revela que, uma vez mais, o episódio destaca as condições deploráveis dos migrantes, candidatos a asilo e refugiados na Líbia.

O representante alerta que vários detidos fugiram dos seus países devido à perseguição, abusos ou pobreza.

O apelo ao Governo do Acordo Nacional é que resolva urgentemente a situação humanitária dos grupos vulneráveis na Líbia, que incluem os migrantes.

O pedido às autoridades efetivas é que protejam os migrantes contra o abuso e a exploração, além de porem termo à sua detenção prolongada "em condições horríveis".

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud