Técnica da Aiea pode detectar o zika vírus em três horas
BR

6 abril 2016

Agência de energia atômica da ONU vai treinar dezenas de especialistas de 26 países da América Latina; treinamento ajudará laboratórios a diferenciar de forma rápida o zika de outros vírus similares, como dengue.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, vai treinar especialistas a detectar o zika vírus em até três horas. O curso será fornecido este mês a 36 participantes de 26 países da América Latina e do Caribe e ocorrerá nos laboratórios da agência na Áustria.

Os especialistas vão participar de simulações e aprender a utilizar uma técnica de reação em cadeia. Com isso, os laboratórios nacionais poderão diferenciar com rapidez o zika de outros vírus similares, como dengue e chikungunya.

Microcefalia

A Aiea lembra que a detecção “precoce, rápida e certeira” é crucial para controlar o surto de zika, que foi associado à microcefalia em recém-nascidos e a desordens neurológicas em adultos.

No treinamento, os participantes também aprenderão a aplicar procedimentos recomendados pela Organização Mundial da Saúde, OMS, e pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos.

O último balanço da OMS, divulgado em 31 de março, confirma o zika vírus em 61 países e territórios.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud