Ban: “não podemos decepcionar milhões de pessoas em extrema necessidade”
BR

4 abril 2016

Falando aos Estados-membros nesta segunda-feira sobre a Conferência Humanitária Mundial, secretário-geral afirmou que encontro é “oportunidade única”.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.*

O secretário-geral da ONU falou nesta segunda-feira aos Estados-membros da organização sobre as preparações para a Conferência Humanitária Mundial, em maio, em Istambul, na Turquia.

Para Ban Ki-moon, esta é uma “oportunidade única” para que todos se unam e enviem a mensagem de que a “erosão da humanidade vista no mundo hoje” não será aceita.

Julgamento da História

O chefe da ONU afirmou que a história fará um julgamento sobre como este momento foi usado. Ele declarou ainda que não se pode decepcionar “os muitos milhões de homens, mulheres e crianças em extrema necessidade”.

Segundo Ban, a melhor forma de chegar à “mudança ousada e corajosa” é garantir a participação dos líderes. Ele destacou o segmento da conferência para Chefes de Estado e Governo, em 23 de maio, primeiro dia do encontro.

Responsabilidades Centrais

Para o secretário-geral, a reunião de líderes será uma oportunidade para discutir as cinco responsabilidades centrais da Agenda para Humanidade: liderança política para prevenir e acabar com conflitos; cumprimento de leis que protegem a humanidade; não deixar ninguém para trás; mudar as vidas das pessoas e investir em humanidade.

Falando a representantes dos Estados-membros, Ban afirmou que esta é a mensagem que pede que eles enviem a suas capitais: que estejam presentes em Istambul “no nível mais alto e mostrem liderança” em relação aos “maiores desafios do século 21”.

Mesas Redondas

O chefe da ONU também citou que haverá sete mesas redondas durante os dois dias de conferência, que vão contar também com a participação da sociedade civil e do setor privado.

Entre os temas das discussões estarão as cinco responsabilidades centrais mencionadas pelo secretário-geral, desastres naturais e mudança climática e igualdade de gênero.

Solidariedade Global

Ban falou ainda que “grandes vitórias para a solidariedade global” no ano passado, citando a Plataforma de Sendai para a Redução do Risco de Desastres, a Agenda de Ação de Adis Abeba, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e o Acordo Climático de Paris.

Para o secretário-geral, a Conferência Humanitária Mundial é uma “oportunidade única” para gerar o impulso para a mudança e enviar uma mensagem de “solidariedade e apoio às 125 milhões de pessoas em crise imediata”.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud