Relatório do Unicef mostra peso da violência do Iêmen na vida das crianças
BR

29 março 2016

Um ano de conflito está “acabando com a vida de milhões” de menores do país, que está “à beira do colapso”, segundo levantamento da agência; por dias, seis crianças são mortas ou feridas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Um conflito brutal e uma rápida piora da situação humanitária estão arrasando com a vida de milhões de crianças no Iêmen, segundo o Fundo da ONU para a Infância, Unicef.

A agência avalia que um ano após o inicio dos confrontos, o país “está à beira do colapso”. Por dia, seis crianças são mortas ou ficam feridas. O Unicef checou mais de 1,5 mil graves violações cometidas contra menores de idade no Iêmen. No último ano, 900 crianças foram mortas e 1,3 mil ficaram feridas.

Perigos

Esses números são sete vezes maiores do que o total observado em 2014. Foram confirmados mais de 50 ataques contra escolas e muitas crianças foram mortas nas salas de aula, quando estavam a caminho da escola ou retornando para casa.

Mas o Unicef revela que esses dados são apenas “a ponta do iceberg”, porque representam os únicos casos que a agência foi capaz de confirmar. Até brincar ou dormir se tornaram atividades perigosas para as crianças iemenitas.

Saúde

Os combatentes também estão recrutando crianças para lutar no conflito. Somente no último ano, o Unicef confirmou que quase 900 menores estavam carregando armas ou monitorando fronteiras, sendo que crianças de até 10 anos foram obrigadas a lutar.

O relatório traz também informações sobre o setor de saúde: 63 hospitais ou postos de saúde foram atacados ou danificados, sem contar a falta de medicamentos e de profissionais, além da queda de energia.

A violência também causou danos ao fluxo de comida e de energia, com pausa das importações. Assim, a entrega de serviços básicos no Iêmen ficou paralisada.

Financiamento

Além dos impactos diretos da guerra, o Unicef calcula 10 mil mortes adicionais de crianças menores de cinco anos, que foram vítimas de doenças que poderiam ter sido prevenidas, não fosse a crise no sistema de saúde e a falta de vacinação. Esse número soma à média de 40 mil crianças que morrem por ano no Iêmen antes de completarem cinco anos.

O Unicef lembra que o país é um dos mais pobres do mundo, sendo que 10 milhões de crianças precisam de assistência humanitária. Mais de 2 milhões podem ter diarreia e 320 mil correm o risco de sofrer desnutrição severa.

Apesar da violência e de várias restrições, o Unicef e parceiros conseguem fornecer ajuda alimentar, água potável e vacinação para milhões de menores iemenitas.

Na semana em que o conflito completa um ano, a agência faz um apelo à comunidade internacional: o Unicef precisa de US$ 180 milhões para ajudar o Iêmen neste ano, mas até agora, só recebeu 18% do valor.

Leia Mais:

Partes em conflito no Iémen concordam em cessar-fogo a partir de 10 de abril

Acnur consegue levar ajuda humanitária para Taiz, no Iêmen

Acnur alerta que situação humanitária é catastrófica em partes do Iêmen

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud